Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

O Tratado de Tordesilhas: a divisão do Novo Mundo

O Tratado de Tordesilhas: tudo aquilo que você precisa saber

O Tratado de Tordesilhas é um dos tratados mais importantes de toda a história da humanidade. Isso porque, ele é responsável pela divisão definitiva das terras do Novo Mundo. Essa atitude ocasionaria uma série de consequências para todo o mundo.

Dessa forma, não é de se surpreender que o Tratado apareça com frequência nas principais provas de História do Brasil e de História Geral de todo o país.

O Tratado de Tordesilhas: Introdução

No dia 7 de junho de 1494, na cidade de Tordesilhas, Portugal e o reino de Castela (que posteriormente se unificaria a outros reinos e se tornaria o Estado Nacional da Espanha) assinaram um acordo: o Tratado de Tordesilhas.

O acordo assinado pelos dois países tinha como principal função dividir as terras que haviam sido recentemente descobertas ou, como algumas provas preferem denominar, o Novo Mundo.  Através de um meridiano a 370 léguas a oeste de Cabo Verde, na África, os territórios em questão foram divididos. A parte oriental pertenceria então à Portugal e a parte ocidental, por sua vez, pertenceria à Espanha.

O Tratado de Tordesilhas: Antecedentes Históricos

Portugal e Espanha foram os pioneiros na Expansão Marítima Comercial, também chamada de Grandes Navegações, que se iniciou no século XV. Porém, os monarcas dos dois países iniciaram a disputar pela posse e pela divisão dos territórios que haviam sido descobertos.

Assim, nesse contexto, os dois países passam a assinar uma série de acordos que deveria oficializar a divisão das terras.

O primeiro deles foi o Tratado de Alcáçovas, assinado em 1479. Porém, esse Tratado deixou de ser válido quando Cristóvão Colombo chega ao continente Americano no ano de 1942.

Com Colombo, Portugal e Espanha percebem que os territórios possuíam uma extensão muito mais vasta do que aquela que eles haviam imaginado. Assim, não faria sentido continuar com o antigo acordo.

Dessa maneira, um novo acordo foi feito: A Bula Inter Coetera. A Bula foi assinada pelo Papa Alexandre VI e estabelecia uma linha imaginária a 100 léguas a oeste de Cabo Verde, na África. Assim, as terras localizadas a oeste dessa linha pertenceriam à Espanha. Aquelas localizadas à leste, por sua vez, pertenceriam à Portugal.

No entanto, Portugal se sentiu prejudicado com o acordo e exigiu uma reformulação da divisão de terras. Essa atitude resultaria em um novo Tratado: o Tratado de Tordesilhas.

O Tratado de Tordesilhas: O Tratado

O Tratado de Tordesilhas expandia as terras portuguesas que antes haviam sido estabelecidas pela Bula.

Porém, com a assinatura do Tratado, outros países europeus se sentiram incomodados com a divisão das terras feitas por apenas dois países (Portugal e Espanha). Assim, algumas dessa nações (como a Holanda, a Inglaterra e a França) passaram a organizar expedições para reivindicar também a sua parte no Novo Mundo.

O Tratado de Tordesilhas: O Fim do Tratado

O Tratado de Tordesilhas ficou em uso até o ano de 1580, quando se iniciou a União Ibérica. Nessa União, Portugal e suas terras do Novo Mundo passaram a se submeter à Espanha, eliminando a necessidade do Tratado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.