Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

O processo de abolição da ESCRAVIDÃO no Brasil: um resumo!

A Abolição da Escravidão: entenda como esse processo aconteceu no Brasil.

O processo de abolição da escravidão no Brasil foi longo e muito complexo. Dessa maneira, as principais provas do país costumam abordar uma série de questões sobre esse assunto da mais variada maneira.

E é justamente por isso que você deve possuir uma boa compreensão dos principais tópicos que estão dentro desse assunto.

Para te ajudar, o artigo de hoje trouxe um resumo sobre o processo de abolição da escravidão em terras brasileiras.

A Escravidão: Introdução

O Brasil foi o último país das Américas a abolir a escravidão em seu território.

Em 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel assinava a Lei Áurea, que extinguia o trabalho escravo dos negros em terras brasileiras.

O processo de abolição da escravidão no Brasil

Durante o século XIX, a luta popular em conjunto com a resistência dos escravizados culminaram na lei que abolia oficialmente o trabalho escravo no país.

Porém, é importante destacar que o processo não foi simples. Pelo contrário: ele envolveu uma série de conflitos e um grande apoio daqueles que se envolviam nas causas abolicionistas.

O processo para libertação de escravos tem início com a proibição do tráfico negreiro.

Em 1830, o Brasil é reconhecido como país independente pela Inglaterra após assumir o compromisso de proibir o tráfico de negros, em especial aquele que acontecia através do comércio ultramarino.

Mesmo com a lei, proclamada em 1831, o tráfico continuou no país. Os governantes do período continuavam a atividade de forma ilícita.

Quando obteve conhecimento desse comportamento, a Inglaterra decidiu retaliar o Brasil, já que o país não cumpria o acordo.

Então, em 1845, a Inglaterra proclamou a lei Bill Aberdeen, que garantia o direito ao país britânico de aprisionar navios negreiros que encontrasse em em águas brasileiras.

A fim de evitar uma guerra, o Brasil então implantou a Lei Eusébio de Queirós, em 1850, proibindo definitivamente o tráfico negreiro.

O processo de abolição da escravidão no Brasil: Leis abolicionistas

Porém, mesmo com o tráfico ultramarino proibido, o tráfico interno continuava a acontecer.

Mas, de maneira gradual, a partir dos anos 1870, foram aprovadas duas leis que fortaleciam o abolicionismo e o fim da escravidão.

A Lei do Ventre Livre, em 1871, estabelecia que todo filho de escravo nasceria livre, tendo a sua liberdade aos 8 anos (com indenização para o dono do escravo) ou aos 21 (sem indenização).

Além disso, a Lei dos Sexagenários, em 1885, deu liberdade a todos os escravos maiores de 60 anos. Porém, esses deveriam prestar serviços de forma indenizatória por mais três anos.

Essa lei se tornou motivo de piada nacional, já que pouquíssimos escravizados chegavam aos 60 anos.

Com muita mobilização popular e movimento de revolta e fuga dos escravos, que originaram diversas comunidades quilombolas, em 1888 foi apresentada a Lei Áurea.

Como D. Pedro II estava em Paris, a Princesa Isabel ficou responsável por assinar a lei e colocar em vigor a abolição da escravidão do Brasil.

 

 

 

 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.