Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

O Ciclo do Café: o café na economia brasileira

O Ciclo do Café: tudo aquilo que você precisa saber

O Ciclo de Café é, sem dúvidas, um dos assuntos mais cobrados pelas questões de História do Brasil do país. Entre elas, podemos citar o ENEM, os vestibulares, os vestibulares militares e os concursos da PM.

Assim, é fundamental que você domine esse assunto para garantir um alto desempenho em qualquer prova que vá fazer.

O Ciclo do Café: Introdução

O ciclo do café se refere ao período em que o café foi o principal produto da economia brasileira. O ciclo se iniciada na década de 1850 e substitui o ciclo precedente, aquele do ouro, que terminou quando as minas de ouro sofreram esgotamento alguns anos antes.

É importante destacar que o café foi o principal produto exportado pelo Segundo Reinado Brasileiro (esse aspecto é a resposta para diversas questões de vestibulares e do ENEM).

O Ciclo do Café: Características

No ano de 1870, o café brasileiro conheceu o seu auge. As plantações se expandiram e chegaram ao sudeste, mais precisamente nas cidades de Campinas e Ribeirão Preto, que possuíam um tipo de terra muito fértil para esse tipo de cultivo, a chamada “terra roxa”.

Nessa fase do ciclo, a exportação cresceu. Com o início das leis abolicionistas, ocorreu uma alta demanda de mão de obra. Assim, o governo brasileiro passou a propagandear que o país necessitava de trabalhadores. Essa atitude atraiu muitos imigrantes estrangeiros, principalmente vindos da Itália.

O Ciclo do Café durou quase 100 anos e em todo esse período a produção café foi a principal atividade econômica do país. Isso porque, na época, o  café era uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo. Assim, as demandas de importação por países estrangeiras eram gigantescas, o que beneficiou muito o Brasil.

O Ciclo do Café: Chegada no Brasil

No Brasil, as primeiras mudas teriam chegado contrabandeadas da Guiana Francesa, no ano de 1727, nos navios do português Francisco de Melo Palheta.

O café apareceu como uma perfeita alternativa para resolver a crise econômica brasileira causada pela queda nas exportações de produtos que sustentavam as atividades econômicas até então, como o algodão e o ouro.

Dessa maneira, os fazendeiros passaram a investir na produção do café e logo, em pouco tempo, atingiu o lugar de atividade econômica mais importante do país.

Os maiores consumidores do café brasileiro na época foram os Estados Unidos e diversos países europeus. Podemos afirmar, assim, que eles foram os grandes responsáveis pelo crescimento da economia nacional na época.

O Ciclo do Café: Locais de produção

A região que se destacou na produção foi a Sudeste, principalmente as cidades do interior de São Paulo. No século XX, com a expansão das plantações do café, o Paraná também passou a ser um importante produtor.

O Ciclo do Café: Queda na Produção

A queda das exportações de café e o consequente declínio do ciclo do café começou quando as leis abolicionistas iniciaram a ser aprovadas, contribuindo para a diminuição da mão de obra escrava, que trabalhava nas fazendas de café.

No século XX, por sua vez, a produção passou a ser maior que o mercado consumidor, provocando estoques excessivos e uma queda nos preços. Igualmente, com a crise de 1929, os Estados Unidos e os demais países que consumiam o café pararam de comprar o produto, provocando uma intensa crise no Brasil.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.