Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo Bolsa Família: Guedes ainda não garante aumento no programa

Apesar de dizer que a ideia é aumentar o valor do programa para um patamar de R$ 300, sabe-se que essa ainda não uma informação clara

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, vem dizendo dia após dia que o valor do Bolsa Família vai subir a partir de janeiro. De qualquer forma, o fato é que o Governo Federal ainda não tem como bancar essa informação. Pelo menos é isso o que se sabe até aqui. E até o próprio chefe da pasta da economia vem falando isso com colegas. É o que informações da imprensa estão dizendo.

Na última semana, o Ministro chegou a dizer que a liberação para o pagamento dos precatórios é o que vai permitir que o Governo aumente o valor do Bolsa Família. Na ponta da letra, isso quer dizer que se o Planalto não conseguir essa liberação, não vai mais aumentar os patamares do programa.

Além disso, Paulo Guedes disse que o Governo pode chegar a fazer cortes nos salários de funcionários públicos. Tudo isso aconteceria se eles não conseguissem a liberação do parcelamento dos precatórios. E é justamente por isso que o Ministro ainda não está cravando o aumento no valor do programa.

Uma saída para resolver essa situação é a aprovação da PEC dos precatórios que está em tramitação na Câmara dos Deputados. A tendência, no entanto, é que o Governo acabe encontrando alguma dificuldade por lá. Isso porque vários parlamentares disseram que essa proposta poderia ser a formalização de “um calote”.

Outra solução seria a realização de um acordo entre o executivo e o judiciário. Com esse atalho, o Governo poderia acabar ganhando o direito de parcelar esses pagamentos sem precisar da ajuda do Congresso Nacional. Só que não se sabe se o poder executivo vai conseguir fazer isso de fato.

Relator da PEC

Para o relator da PEC dos precatórios na Câmara dos Deputados, a situação do Governo Federal se complicou. Em entrevista para o portal Valor, ele disse que as últimas falas de Bolsonaro podem prejudicar o aumento do programa.

É que acontece que o Presidente acabou criticando duramente membros do judiciário. É o mesmo chefe de estado que precisa desse mesmo judiciário para conseguir o acordo que libera o parcelamento dos precatórios e consequentemente um Bolsa Família com valor mais alto.

De qualquer forma, vale lembrar que o Governo Federal ainda não bateu o martelo sobre esse assunto. De acordo com as informações de bastidores, eles deverão dar mais detalhes sobre valores e quantidade de beneficiários a partir do final deste mês.

Novo Bolsa Família

Mesmo diante de toda essa situação, o Governo Federal segue seu plano. Eles querem seguir com os pagamentos do Auxílio Emergencial até o próximo mês de outubro. Logo depois, a partir de novembro, eles entrariam com o programa novo,

O Bolsa Família reformulado, que passaria a se chamar Auxílio Brasil, passaria a atender mais gente do que a atual versão do programa. Só que não se sabe quantas pessoas poderiam receber o benefício.

Além disso, em caso de aumento, não se sabe de quando seria. De acordo com informações de bastidores, a tendência natural é que a média de repasses passe a ser de R$ 300, assim como garantiu o Presidente Jair Bolsonaro.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
1 comentário
  1. Anadia Diz

    Porque não mi pagaram 1 ano de auxílio emergencial e cortaram 3 meses fazem meu bolsa família??? Estou no cadastro único e legal perante as leis?? Justiça.. ……

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.