Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo Bolsa Família: Banco Central diz que mercado quer valor mais baixo

De acordo com Presidente do Banco Central, mercado não estaria gostando nada da ideia de um Bolsa Família mais alto

O mercado brasileiro está de olho nos noticiários nas últimas semanas. É que empresários estão preocupados com a situação do valor do novo Bolsa Família. O programa, que vai passar a se chamar Auxílio Brasil a partir de novembro, vai ter uma nova média de pagamentos. Pelo menos é isso o que o Governo Federal está prometendo.

Em entrevista coletiva, o Presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse que a ideia de subir muito os valores do programa não agrada ao mercado. Pelo contrário. De acordo com ele, as notícias que afirmavam que os montantes do projeto subiriam para a casa dos R$ 400 causaram uma espécie de ruído entre os empresários.

“O mercado associou programas que são projetos de governo a uma vontade de ter um bolsa família mais alto, mais forte ou mais rápido, e isso gerou esse ruído”, disse o Presidente do BC, alertando que há uma preocupação forte com a situação de Reformas que o Governo Federal está apresentando no país neste momento.

“A leitura é que tivemos alguns problemas, começando com tributária, depois o tema dos precatórios e o tema do fundo, que de certa forma houve uma percepção do mercado que esses três projetos estavam sendo viabilizados com o intuito de propiciar a possibilidade de ter um Bolsa Família mais alto, mais rápido”, disse ele.

A ideia do Governo Federal é começar os pagamentos do novo Bolsa Família a partir do próximo mês de novembro. Então, em tese, o programa vai acabar funcionando como uma espécie de substituto para o Auxílio Emergencial. É que este projeto do Palácio do Planalto deverá chegar ao fim no próximo mês de outubro.

Elogios

O Presidente do Banco Central elogiou o Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). De acordo com Campos Neto, o parlamentar estaria atuando para tentar diminuir a desconfiança do mercado em relação aos valores do novo Bolsa Família.

Recentemente, aliás, o Presidente da Câmara dos Deputados chegou a dar uma entrevista afirmando que uma proposta de valor de Bolsa Família na casa dos R$ 400 não passaria por nenhuma aprovação dentro do Congresso Nacional neste momento.

“O presidente da Câmara fez um discurso muito duro do compromisso da Câmara com a disciplina fiscal e a gente viu o efeito que teve nos mercados hoje. Então mostra de fato uma sensibilidade a esse tema”, disse Campos Neto.

Valores do Bolsa Família

A verdade é que o Governo Federal ainda não bateu o martelo oficialmente sobre os valores do novo Bolsa Família. Tudo o que se tem até agora são informações de bastidores. Muito se fala em R$ 280, R$ 290 e até em R$ 400. Nada disso passou por uma confirmação.

Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, o Bolsa Família está chegando na casa de cerca de 14,7 milhões de brasileiros. Os valores médios atuais de pagamentos estão girando na casa de R$ 189. Isso quer dizer portanto que alguns recebem um pouco mais e outros um pouco menos do que isso.

A ideia do Palácio do Planalto é anunciar os patamares médios do novo benefício a partir do final do próximo mês de setembro. Até aqui, parlamentares de diversos partidos apresentaram mais de 400 emendas para tentar inserir esse valor no texto da MP do projeto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.