Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

NOVA extensão do auxílio emergencial até março de 2021 é ENCAMINHADA

A incerteza sobre a continuação do auxílio emergencial em 2021 só cresce com a chegada do fim de dezembro. Um novo projeto de lei (PL) que propõe a extensão do auxílio emergencial e a prorrogação do estado de calamidade pública até 31 de março de 2021.

O projeto foi protocolado por meio do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Segundo ele, já existem conversas com outros parlamentares sobre a iniciativa, mas ainda não há previsão para sua inclusão na pauta da Casa.

O auxílio emergencial e estado de calamidade pública estão previstos para terminar, juntos, em 31 de dezembro de 2020.

O projeto apresentado pelo Senador Vieira propõe que esse prazo seja prorrogado até março de 2021 por conta dos impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Sobretudo, ainda, que a pandemia continua e que a vacinação levará um tempo ainda indefinido para ser concluída.

“O fato é que, por conta da inércia do governo federal, simplesmente não teremos um programa nacional de vacinação em execução antes de março. É preciso fazer essa ponte para manter o mínimo de estabilidade social até lá”, disse o senador.

Os parlamentares tentarão votar na quarta-feira, 16 de dezembro, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) diretamente em plenário em sessão do Congresso. Após isso, os congressistas devem voltar às suas bases para as festas de fim de ano.

O auxílio emergencial, aprovado em março no Congresso, foi pago inicialmente por 3 meses com o valor de R$600 aos chamados vulneráveis. Após isso, o benefício foi estendido por mais 2 meses, com o mesmo valor. Por fim, em setembro, o benefício foi estendido em mais 4 parcelas até dezembro de 2020.

O Governo Federal chegou e estipular a criação de um novo programa de renda permanente, com valores maiores que os pagos pelo Bolsa Família, mas até o momento não foi possível incorporar o tema.

O que diz o Governo sobre extensão do auxílio emergencial

Segundo Bolsonaro, o auxílio emergencial não será prorrogado. Além disso, o chefe do executivo confirmou que não será criado um novo programa de distribuição de renda e afirmou que a ideia é “aumentar um pouquinho” o atual programa assistencial Bolsa Família.

Segundo Bolsonaro, o auxílio pago a vulneráveis por causa da crise provocada pela Covid-19 tem caráter emergencial. Segundo ele, o Brasil conta com uma capacidade de endividamento e não pode se “desequilibrar”.

“Quem falar em Renda Brasil, eu vou dar cartão vermelho, não tem mais conversa”, disse Bolsonaro em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, da TV Band. O Renda Brasil era o programa previsto pelo Governo para substituir o Bolsa Família.

“Auxílio é emergencial, o próprio nome diz: é emergencial, Não podemos ficar sinalizando em prorrogar e prorrogar e prorrogar”, disse o presidente, acrescentando que “acaba agora em dezembro”.

Ao se referir que agora o foco será o Bolsa Família, Bolsonaro confirmou o que tem falado para a equipe econômica: “Vamos tentar aumentar um pouquinho isso aí.”

O presidente argumentou, ainda, que o país tem que manter as contas em ordem para evitar aumento da inflação, “o imposto mais danoso que existe para todo mundo,” disse ele.

Veja também: Auxílio de R$300 liberado hoje aos brasileiros; VEJA como receber em sua cidade

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

6 Comentários
  1. Aurea Diz

    Desde o começo da candidatura do senhor excelentíssimo presidente Bolsonaro eu já não achava certos algumas falas dele mas porém quem escolhe é a maioria. Então agora está aí o resultado da escolha

  2. George Souza Diz

    Perdi meu emprego na pandemia, e até o momento, não consegui encontrar outro.
    Estou passando necessidade, assim como milhões de brasileiros também estão.
    Recebi o seguro desempeno por 4 meses, contestei o auxílio emergencial quando o dinheiro acabou e até hoje, só recebi uma única parcela.
    Estou vivendo de doações, depressivo, recluso e desenvolvendo doenças mentais.
    A vida em 2020 não está fácil, só desejo que tudo volte ao normal, que possamos trabalhar pra nos sustentar e ter alguma qualidade de vida, nesse país que consome e mata seus trabalhadores.

  3. MIRTHES LIVANIA BARBOSA DE FRANÇA Diz

    Gostaria de lembrar que em 2022 tem política. Depois não está arrependido. Pense bem no povo brasileiro. Nois não merecemos passar por isso seu Bolsonaro

  4. Valéria Diz

    Realmente alguns brasileiros , estão dependendo desse auxílio por não terem condições de se manter , assim como eu , sem emprego , enfim na famosa pindaíba , então Sr caro presidente , não seja egoísta , se vai cobrar de volta o auxílio que o povo tá recebendo , pelo menos ajude quem precisa , não é voce que vai passar fome , com essa bosta de pandemia , obrigada !!

  5. Andreia Aparecida cardoso Diz

    necessidade do programa de doença a bolsonaro você é uma vergonha para o nosso Brasil

    1. Sheila Diz

      Verdade querida

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.