Não Seja uma Vítima: Como se Proteger contra a Clonagem de Cartão

Não caia em golpes e evite problemas

O aumento do uso do cartão de crédito para compras online teve um aumento significativo nos últimos anos. Nesse contexto, muitas pessoas estão expostas à possibilidade de serem vítimas de clonagem de cartão. Mas, como identificar e evitar esse golpe?

Como identificar e evitar ser enganado pela clonagem de cartão?

Devido à confiança excessiva em seus cálculos mentais para controlar os gastos, muitas pessoas não sentem a necessidade de conferir as faturas de seus cartões de crédito. Somente ao realizar o pagamento é que descobrem que foram alvos de clonagem de cartão.

Repentinamente, percebem uma série de cobranças não reconhecidas que causam alarme, pois ultrapassam o orçamento estabelecido. O cidadão se vê perdido, pois sua dívida aumentou a ponto de se tornar impagável. No final, aprende-se a lição da maneira mais difícil, com golpistas roubando dados pessoais e bancários para realizar compras em seu nome.

Esses tipos de golpes são mais frequentes do que se imagina

A clonagem de cartões, conforme o próprio nome sugere, envolve copiar as informações de um cartão para utilizá-las sem a autorização do titular. Tais casos são mais comuns do que se supõe.

No ano passado, os golpistas se aproveitaram, resultando no vazamento de 2.842.779 dados de cartões. Como resultado, milhares de brasileiros enfrentaram problemas com seus produtos financeiros, tanto de crédito quanto de débito.

O que significa clonagem de cartão?

O termo “copiar um cartão” é utilizado para descrever o crime de roubar as informações do cartão e utilizá-las para realizar transações fraudulentas. Inicialmente, esse tipo de crime limitava-se ao roubo de informações por meio de dispositivos conhecidos como “skimmers”.

Através desses aparelhos, os criminosos obtinham as informações contidas na faixa magnética do cartão. Posteriormente, transferiam esses dados para um cartão vazio, a fim de efetuar as transações.

No entanto, essa prática evoluiu ao longo do tempo. Atualmente, os criminosos diversificaram seus métodos na tentativa de roubar informações confidenciais, incluindo os códigos de segurança (CVV). Dessa forma, realizam compras pela internet.

Há casos em que os criminosos enviam e-mails aos clientes alertando sobre atividades financeiras suspeitas. Isso serve como isca para redirecioná-los a sites falsos, onde são solicitadas as informações do cartão, permitindo o roubo.

Como se realiza a clonagem de um cartão?

Existem diversas maneiras de cometer esse delito, porém algumas das mais frequentes são:

  • Obtenção de informações – Ao passar o seu cartão na máquina, os fraudadores têm a oportunidade de copiar números, datas e nomes, os quais utilizarão para efetuar compras por telefone ou online;
  • Websites ou e-mails falsos – Essa tática, também conhecida como “phishing”, envolve o envio de e-mails que se passam por funcionários de instituições bancárias. Neles, é comunicado um suposto erro ou bloqueio na sua conta e fornecido um link para um site falso onde devem ser inseridos seus dados novamente.

Como identificar se o cartão foi clonado?

Geralmente, é fácil perceber quando essas informações são utilizadas para efetuar compras ou solicitar um serviço, como um empréstimo. Portanto, é recomendado revisar periodicamente os movimentos da conta, manter um registro do uso dos cartões e ativar notificações junto ao banco.

Perde-se todo o dinheiro caso o cartão seja clonado?

Se você for vítima do crime de clonagem de cartão, graças aos protocolos atualmente em vigor, é possível obter ressarcimento pelos danos causados. No entanto, é crucial agir rapidamente para que o banco possa tomar as providências necessárias.

Nesse sentido, vale ressaltar que, em geral, a vítima tem aproximadamente 90 dias corridos a partir da data da cobrança para fazer a reclamação. Assim, é possível reportar o ocorrido e evitar maiores prejuízos com o golpe.

O que fazer se o cartão for clonado?

Caso seu cartão tenha sido clonado e alguém tenha realizado compras online, a primeira medida a ser tomada é entrar em contato com o banco para relatar a situação. Se identificar cobranças não reconhecidas, é essencial informar a instituição, lembrando-se de que você tem apenas 90 dias a partir da data da cobrança para apresentar uma explicação.

No caso de clonagem, assim que for iniciado o processo de esclarecimento, o banco dará início à investigação, tendo um prazo de 30 dias úteis para responder. É importante ressaltar que o processo de esclarecimento não prosseguirá se o banco concluir que você ou outro titular do cartão tenha autorizado a cobrança.

Entretanto, em caso de perda do cartão de crédito, proceda imediatamente da seguinte maneira:

  • Entre em contato com seu banco – Explique detalhadamente a situação, solicitando o cancelamento do cartão. Dessa forma, os golpistas não poderão utilizá-lo indevidamente. É importante saber quando foi a última vez que você utilizou o cartão e qual era o saldo disponível. Quanto mais informações você tiver, mais fácil será determinar o início dos problemas;
  • Entre em contato com a sua instituição financeira – Exponha minuciosamente a sua situação, solicitando o cancelamento imediato do seu cartão. Dessa maneira, os fraudadores serão impedidos de utilizá-lo de forma indevida. É fundamental que você tenha conhecimento sobre a data e o saldo da última vez em que o cartão foi utilizado. Quanto mais informações estiverem disponíveis, mais fácil será determinar o início dos problemas;
  • Apresente uma queixa à administradora do cartão para que seja realizada uma investigação sobre o seu caso – Isso se torna relevante, pois, caso sejam identificadas cobranças não reconhecidas realizadas até 48 horas antes do registro da queixa, o banco estará obrigado a reembolsar o valor dessas transações.

Para prevenir a ocorrência desse incidente indesejado, é recomendado seguir as seguintes orientações

  • Realize inspeções nos terminais e caixas eletrônicos antes de utilizá-los, assegurando-se de que não possuam dispositivos ocultos capazes de copiar suas informações;
  • Solicite que o terminal de pagamento seja trazido até você ao efetuar uma transação com cartão. Caso isso não seja viável, acompanhe a operação pessoalmente;
  • Evite enviar dados financeiros por meio de mensagens de texto ou e-mails e altere regularmente suas senhas;
  • Verifique se os sites nos quais você realiza compras ou transações eletrônicas possuem os devidos protocolos de segurança, bem como selos que comprovem a proteção dos seus dados;
  • Em caso de dúvida em relação a um e-mail ou mensagem recebida de seu banco, entre em contato diretamente com a instituição;
  • Ative os alertas fornecidos por sua instituição financeira para ser notificado sobre as transações realizadas e revise periodicamente o extrato de sua conta.

É importante lembrar que a segurança de nossas informações é responsabilidade individual. Portanto, devemos ser cuidadosos ao manusear nossos documentos para evitar a clonagem de cartão e outros tipos de fraudes.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.