Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Modelos de Produção: o Toyotismo

O Toyotismo: um resumo

O Toyotismo foi um sistema de produção desenvolvido no Japão na segunda metade do século XX, substituindo o Fordismo.

O assunto é muito cobrado por questões de história e de geografia das principais provas do país, como o ENEM e os vestibulares.

O Toyotismo: Introdução

O Toyotismo foi um sistema de produção de mercadorias que, quando criado, visava a flexibilização do processo de fabricação de produtos. O sistema foi desenvolvido entre 1948 e 1975 nas fábricas japonesas da Toyota, o que originou seu nome.

É válido destacar que o Toyotismo foi criado para substituir o Fordismo, modelo anterior vigente nas produções industriais.

O Toyotismo: Origem

O Toyotismo foi desenvolvido por três engenheiros. São eles: Taiichi Ohno, Shingeo Shingo e Eiji Toyoda.

Os seus criadores idealizaram o Toyotismo com o objetivo de recuperar e renovar as fábricas japonesas durante o período pós-guerra. Em um mercado pequeno e com dificuldade na importação de matéria prima, como era aquele japonês, era necessário um processo de fabricação que não produzisse excedentes e mantivesse uma alta qualidade.

O Toyotismo: Características

Na condição em que se encontravam as produções do país, nasceu a ideia de esperar o surgimento de encomendas para então iniciar a produção, economizando assim grandes valores com aluguéis de armazenagem e espaço no estoque de mercadorias e matérias-primas.

Desse modo, o Toyotismo conseguiu aumentar a produtividade das fábricas, diminuindo o desperdício, o tempo de espera e a superprodução. Esse novo sistema levou a Toyota a se tonar a maior montadora de veículos de todo o mundo.

Além disso, o Toyotismo iniciou algumas mudanças no processo de montagem e fabricação de produtos como. Entre elas, podemos citar a diminuição da produção de excedentes e, consequentemente, dos estoques, a produção adequada à encomenda, a qualidade dos produtos fabricados, a diversificação dos produtos das indústrias e a qualificação da mão-de-obra (ao contrário daquela utilizada pelo Fordismo).

O Toyotismo: Princípios

O Toyotismo é baseado em dois princípios. O primeiro deles, denominado de Kaizen, tem como objetivo aprimorar as operações de negócios, garantindo a entrada de capital e a demanda contínua. O segundo, por sua vez, era denominado de GenchiGenbutsu, e era baseado na análise das fontes de quaisquer eventuais problemas nos processos produtivos.

Assim, o Toyotismo estabeleceu que os processos e operações devem ser sempre aprimorados. Além disso, a análise dos processos produtivos passou a ser considerada a chave para a solução dos problemas que surgem com o tempo.

O Toyotismo ganhou espaço principalmente após as duas crises do petróleo que abalaram o sistema capitalista a partir da década de 1970.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.