Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Mercado de trabalho brasileiro tem 94 milhões de pessoas ocupadas

A população ocupada no Brasil chegou a 94 milhões de pessoas, o que marca um crescimento de 3,6%. Esse nível de crescimento no mercado de trabalho acabou crescendo no último trimestre, que se encerrou em outubro de 2021.

Também ocorreu uma queda no rendimento habitual, que foi de 4,6% em relação ao trimestre anterior e dessa forma acabou caindo para R$ 2.449, sendo que em relação ao mesmo trimestre porém do ano passado, o recuo chega a 11%.

O IBGE realizou uma estimativa sobre o nível atual de ocupação, que é o somatório do nível de pessoas que estão ocupadas mais a idade considerada daquelas que ainda podem trabalhar, dando o resultado de 54,6% da população no país.

Detalhes sobre as atividades do mercado de trabalho

Vários agrupamentos foram analisados na pesquisa do IBGE e comparados com o mesmo período do último ano. A indústria geral registrou um crescimento de 4,8%, com a entrada de mais de 535 mil pessoas, seguida da construção civil que empregou mais de 456 mil pessoas.

Pelo menos nove grupamentos registraram um aumento nos índices quando comparados ao mesmo trimestre do ano de 2020. Entre eles, se destacam a agricultura, pesca, produção florestal e pecuária. Informação e atividades financeiras também registraram resultados positivos. 

Informalidade segue aumentando no Brasil

Mesmo com o aumento de 4,1% no número de empregados com carteira assinada no mercado de trabalho do Brasil, quando comparado ao trimestre anterior, a taxa de informalidade segue alta e chega a 40,7% da população ocupada no país. No trimestre anterior esse índice era de 40,2%.

O trabalhador informal do mercado acaba tendo menos respaldos, como não ter direito a um décimo terceiro salário e férias remuneradas. Essas pessoas foram as que sofreram mais com a chegada da pandemia no último ano, porém essas mesmo com o isolamento social também foram as que conseguiram se recuperar mais rapidamente.

Rendimento médio não agrada

Neste momento estamos tendo um aumento da população ocupada e mesmo que isso pareça positivo, infelizmente o rendimento médio real não está em níveis positivos como o da pré-pandemia, em vários segmentos e até para os que são mais qualificados.s a sair do mercado de trabalho, que acabaram se afastando e somente nesse momento que estão retornando.

O trabalho com carteira assinada também não está sendo positivo no geral, pois mesmo assim os trabalhadores seguem recebendo rendimentos abaixo da média salarial dos últimos anos, sendo que muitos empregados já estão sabendo que nesse momento serão contratados por rendimentos menores.

Com o rendimento real caindo, ainda mais em um ano onde a retração chegou a 11%, o efeito da inflação está sentido pela maior parte dos setores do mercado de trabalho, desde o processo de oferta até a demanda dos trabalhadores, sendo que aquele trabalho em muitos casos está pagando menos do que deveria, perdendo para a inflação. 

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.