Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

IR: após reclamações, Receita corrige erro no processo de declaração

Depois de muita reclamação nas redes sociais, a Receita Federal corrigiu uma informação errada que estava tirando o sono de muita gente. É que no processo de declaração do imposto de renda, as pessoas estavam se surpreendendo com a data de vencimento do pagamento do DARF.

De acordo com essas pessoas, a data de vencimento que aparecia no documento era o dia 30 de abril. No entanto, a própria Receita Federal anunciou que aumentou o prazo para esse pagamento até o próximo dia 31 de maio. Nas redes sociais, muita gente estava preocupada com a possibilidade de pagamentos de juros.

Entretanto, isso não vai acontecer. De acordo com a própria Receita Federal, o erro não existe mais. A partir de agora, todas pessoas que gerarem o DARF, terão a data de vencimento nova. Caso a pessoa tenha gerado esse boleto, também não tem problema. Basta gerar um novo que ele virá com a data nova.

Para fazer isso, basta seguir o mesmo processo que seguiu na primeira tentativa. Para quem vai gerar o documento pela primeira vez, a dica é baixar uma versão atualizada do programa da Receita Federal. Assim, as chances de o documento vir com a nova data é maior.

Como dito, essa nova data é o dia 31 de maio. Esse é final do prazo não só para o pagamento do DARF, como também para a declaração de renda como um todo. De acordo com especialistas, o ideal é não deixar para declarar apenas na última hora. Isso porque há chances de congestionamentos no sistema.

Imposto de renda

Essas regras, aliás, valem também para o pagamento das devoluções do Auxílio Emergencial. Então quem precisar devolver o dinheiro desse benefício vai ter que se apressar para fazer isso até o próximo dia 31 de maio. No entanto, não há como negar que esse é um tema polêmico.

É que de acordo com a Receita Federal uma parte considerável de pessoas vai ter que devolver o dinheiro do Auxílio. Isso mesmo considerando que essas pessoas não tenham pegado o Auxílio. É que se um dependente usar o benefício, essa conta vai cair para o titular agora.

Muita gente critica essa novidade na declaração do imposto de renda este ano. Essas pessoas argumentam que foram pegas de surpresa, outras dizem que não é justo ter que pagar por causa de um pedido de auxílio de qualquer um dos seus dependentes. Sobre isso, a Caixa Econômica Federal ainda não se pronunciou.

Benefício em 2020

Em 2020, quase 70 milhões de brasileiros receberam pelo menos uma parcela do Auxílio Emergencial do Governo Federal. No entanto, apenas uma pequena parcela de pessoas desse grupo vai ter que devolver esse dinheiro para a Receita Federal.

Em alguns casos, a cobrança pode vir de forma indevida. Nessa situação, o cidadão precisa fazer uma denúncia ao Ministério da Cidadania. Sem precisar sair de casa, basta entrar no site do Ministério e pedir a revisão dos dados para os fins de declaração do imposto de renda.

Se mesmo assim, o cidadão não conseguir resolver a situação, essa pessoa pode procurar a Justiça. No entanto, se um dependente dessa pessoa realmente recebeu o auxílio mesmo sabendo que o titular ganhava mais do que o teto de exigência do programa, aí não tem o que fazer. Vai ser preciso pagar a DARF mesmo.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
1 comentário
  1. Valderir damasceno de morais Diz

    Tô desempregado em casa quatro pessoas que necessita do auxílio emergencial

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.