Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Intertextualidade: definição e principais tipos

Esse assunto vai cair na sua prova!

Intertextualidade: vai cair na sua prova!

Você sabe o que é intertextualidade e quais são os seus principais tipos? 

A intertextualidade é um tópico extremamente abordado pelos concursos, pela prova do ENEM e pelos vestibulares. Assim, vamos descobrir juntos, no artigo de hoje, o que significa esse termo e quais são as suas formas de expressão.

Intertextualidade: definição

O termo “intertextualidade” se refere à criação de uma obra ou de um texto com base em outro (a) que já existe. Assim, quando uma obra fizer alusão à outra ou à partes de uma outra, temos a intertextualidade.

É válido destacar que a intertextualidade pode acontecer tanto em textos como em pinturas, músicas e outros tipos de produções artísticas.

Intertextualidade: tipos

Alusão: esse tipo de intertextualidade ocorre a partir do uso de metáforas ou de características que lembram um texto/obra. 

Citação: a citação ocorre quando um texto ou parte desse é literalmente transcrito. Nesse caso, devemos inserir o texto entre aspas e citando a fonte do mesmo. 

Tradução: esse tipo de intertextualidade ocorre a partir da tradução de um texto para outro idioma diferente daquele em que a obra foi originalmente escrita. 

Plágio: o plágio ocorre quando uma obra artística é copiada por alguém, sem que o idealizador da mesma tenha conhecimento. Lembrando que esse é um procedimento ilegal e pode gerar processos por reparação de danos.

Paródia: a paródia consiste em forma irônica de criticar. Aquele que compõe a paródia se utiliza do texto original para transformar o mesmo de maneira que esse se torne cômico ou crítico.

Pastiche: o pastiche não apresenta um teor cômico ou crítico como a paródia e tem como objetivo imitar o gênero ou o estilo de um texto já existente. 

Paráfrase: esse tipo de intertextualidade consiste na recriação de um texto que já existe. Nesse caso, não ocorre cópia, sendo o original somente relembrado no novo texto.

Bricolagem: a bricolagem consiste em criar um texto ou uma obra utilizando-se de partes de outros textos ou de outras produções.

Epígrafe: a epígrafe consiste na citação de uma frase ou parte de uma obra, com o objetivo de introduzir uma ideia que será discutida no restante do texto.

Crossover: esse tipo de intertextualidade consiste na inserção de personagens e de universos fictícios em capítulos ou trechos de obras das quais eles, originalmente, não pertenciam.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.