Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Ideia de subir Bolsa Família para R$ 400 perde força no Governo, diz imprensa

De acordo com informações da imprensa, a ideia de subir os valores médios do Bolsa Família para R$ 400 vem perdendo força no Governo

O Governo Federal ainda não bateu o martelo sobre a questão dos valores do novo Bolsa Família. Por isso, muito se especula sobre quais deverão se esses números. Nesta sexta-feira (3), por exemplo, circula pela imprensa a notícia de que a chance de o montante médio subir para algo em torno de R$ 400 vem perdendo força do Planalto.

Segundo informações da imprensa, quem está fazendo pressão para aumentar esse valor para esse patamar é o grupo político conhecido como Centrão. Esses parlamentares estariam pedindo para que o Presidente Jair Bolsonaro bancasse essa manobra. Em troca, ainda na visão deles, o chefe do executivo ficaria mais próximo de uma possível reeleição.

No entanto, essa ideia parece vir perdendo força. É que membros do Ministério da Economia acreditam que esse nível de aumento poderia ser perigoso. Eles temem sobretudo que isso pudesse fazer com que o Governo Federal acabasse quebrando o teto de gastos. E isso seria portanto um crime de responsabilidade.

Ainda de acordo com membros do Ministério da Economia, há também um temor sobre a questão do orçamento de 2022. É que de acordo com as informações oficiais, o Governo Federal ainda não garantiu o dinheiro nem para um aumento mínimo do Bolsa Família, muito menos para uma elevação para a casa dos R$ 400.

De qualquer forma, vale sempre lembrar que o Governo Federal ainda não se decidiu sobre esse assunto. Segundo informações de membros do próprio Palácio do Planalto, essa decisão vai passar por uma divulgação ainda no final deste próximo mês de setembro. Pelo menos essa é a ideia até aqui.

Decisão é de Bolsonaro

Em entrevista recente, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, deixou claro que a decisão final sobre os valores do programa não é dele. De acordo com o chefe da pasta econômica, essa é uma questão que cabe ao Presidente Jair Bolsonaro.

É portanto o chefe do executivo que vai decidir a média de pagamentos do programa. E aí ele pode escolher pagar os R$ 300 que prometeu ou então ceder a alguns dos grupos que do Palácio do Planalto neste momento.

O fato, no entanto, é que não há uma decisão sobre o tema. O Governo Federal ainda está realizando uma série de reuniões sobre o assunto. Eles ainda não chegaram em uma conclusão. Eles devem anunciar novidades dentro de mais algumas semanas.

Além do Bolsa Família

Nestes últimos dias, surgiu uma história de que o Governo Federal poderia aplicar uma segunda prorrogação no Auxílio Emergencial. De acordo com aliados de Bolsonaro, essa seria uma forma mais prática de tentar aumentar o apoio popular.

Vale lembrar que o Auxílio Emergencial passou recentemente pela primeira prorrogação. Neste momento, de acordo com o calendário oficial do programa, faltam ainda dois pagamentos para o benefício chegar ao fim.

A duração total do Auxílio Emergencial tem total relação com a questão do novo Bolsa Família. É que, em tese, um projeto só vai começar quando o outro terminar. Então se um deles passar por uma nova prorrogação, o outro passaria por um novo adiamento

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.