Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Governo pode suspender reajuste salarial de servidores por dois anos

A nova proposta é que, ao receberem o recurso, os governadores e prefeitos suspendam por dois anos o reajuste nas remunerações do funcionalismo.

Para que o governo federal transfira até R$40 bilhões para estados e municípios enfrentarem os impactos do Coronavírus, os reajustes salariais dos servidores públicos podem virar moeda de troca.

A nova proposta é que, ao receberem o recurso, os governadores e prefeitos suspendam por dois anos o reajuste nas remunerações do funcionalismo. O objetivo é substituir o texto do projeto emergencial de socorro aos estados e municípios, ou apresentar um novo texto por um senado aliado.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a proposta ainda será encaminhada pelo governo federal aos líderes dos partidos da Câmara e do Senado. Vale também ressaltar que, não foi descartada a edição de uma Medida Provisória (MP). Paulo Guedes, ministro da economia, concordou com o congelamento de salários dos servidores por dois anos, por causa do coronavírus.

De acordo com o ministro, o congelamento dos salários seria semelhante a promover os cortes, porém, sem o risco de gerar uma deflação. “Há risco deflacionário, portanto, não devemos cortar salário de funcionários públicos”, revelou Guedes aos parlamentares do DEM.

“O presidente (Jair Bolsonaro) nem aceita falar disso, mas o setor público tem de dar o exemplo, deveríamos congelar os salários durante dois anos”, concluiu.

Deputado encaminha Projeto de Lei para a redução salarial do servidor

Também está em tramitação um novo projeto de lei que visa à redução salarial dos servidores em decorrência do coronavírus.  O projeto do deputado federal Carlos Sampaio (PSDB/SP), prevê cortes por três meses, com possibilidade de prorrogação por igual período.

Os servidores dos Três Poderes teriam seus salários reduzidos em percentuais que variam de 10% a 50%, a depender do quanto ganham por mês:

  • Redução zero para quem ganha até R$5 mil;
  • 10% a menos para quem ganha até R$10 mil;
  • 20% a 50% a menos para salários superiores a R$10 mil.

Servidores das áreas de Saúde e Segurança Pública, que estejam prestando serviço efetivo durante o estado de calamidade pública não estão incluídos na redução.

Veja também: Dois saques do PIS/PASEP são liberados com valor de até R$1.045

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
8 Comentários
  1. Maria da Glória Diz

    Gente isto é um crime sou professora no Acre onde o custo de vida é mto alto não tem como reduzir é temos que ter reajuste sim,pois a cesta básica está mto cara. Será que vcs não tem dor de ninguém colarinhos brancos, pelo o amor de Deus os preços e os salários de vcs que além de roubarem ganham mto.

    1. Jane Diz

      Acho tudo isso um absurdo !!! Deveriam reduzir políticos e seus salários,pois ganham salários altíssimos para não fazerem nada .

      1. Lucia Diz

        É, tem que pensar muito bem na hora votar. E o fundo partidário? Só não concordo que o governo tire do servidor federal para dar aos Estados e estes não queiram tirar nada dos seus servidores por questões políticas. Nós servidores federais já levamos com a previdência, chegou a hora do servidor estadual e municipal contribuírem.

  2. Kennedy de Oliveira macaubas Diz

    E o salário dos senadores e deputados vão abaixar também?

  3. Celso Costa de Carvalho Diz

    Aos famigerados políticos dessa província chamado BRASIL os servidores públicos federais civis em nenhum momento vai esquecer de vcs nas próximas eleições, mais agora vamos torcer pra vir logo uma Recessão radical pois dessa forma vai todo mundo pro mesmo buraco, Ricos e pobres.

  4. Lourdes Diz

    Tinha q sobrar para os trabalhadores, servidores públicos. Quem ganha mais de 5 mil reais? O bruto ou o líquido? Pq quem recebe um pouquinho mais q 5 mil reais, quando vem o desconto, da previdência, imposto de renda, fica um pouco mais q 4 mil reais, para quem tem família grande, um monte desempregados dependendo dessa única renda, piora a situação. Muita injustiça

    1. Ana paula Diz

      Quem vai manter o consumo após pandemia é o servidor público, estadual, municipal e federal de todos os poderes , os privados, demorarao a ser uma fatia significante de consumo me refiro a todos aqueles da classe media regular, a pobre alta , que são os consumidores das empresas de médio e pequeno porte que movimentam o consumo de massa e é parte significativa do mercado. Se reduzir salário federal os governadores e prefeitos, não tenho dúvida, seguirão exemplo federal. Aí a vaca fosse. Tem k congelar tb Plano de Saúde, energia, água, transporte , remédios, condomínios e pq não passagem aérea, sim , apesar dos preços hoje praticados essas classes são as que lotam voos domésticos. Não é preciso ser economista pra ver isso. Se isso acontecrr a economia vai estagnar mais do previsto.

  5. Paulo Dantas Diz

    Até hoje ninguém ouviu falar em reduzir as mordomias dos vampiros, que mesmo com a pandemia a sede de sangue contínua insaciável. Mas, Deus é fiel e justo e o de vocês aínda está por vir.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.