Governo lança fase de testes do FGTS Digital; entenda como funciona

O Governo Federal do Brasil está se preparando para um novo marco na administração do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), com o lançamento da fase de testes do FGTS Digital, uma plataforma tecnológica que visa agilizar e otimizar o processo de pagamento desse benefício tão importante para milhões de trabalhadores brasileiros.

FGTS Digital; entenda como funciona

O projeto é uma colaboração entre o Ministério do Trabalho, a Caixa Econômica Federal e a empresa estatal de tecnologia da informação, Serpro. Segundo informações oficiais, a partir de 19 de agosto de 2023, a plataforma estará disponível em sua versão inicial. Assim, prometendo facilitar a vida de mais de 43 milhões de pessoas, incluindo 4 milhões de empregadores.

Desenvolvimento da tecnologia

O desenvolvimento do FGTS Digital está sendo liderado pela Serpro, uma empresa estatal de tecnologia da informação. A expectativa é de que a nova plataforma transforme a maneira como os processos de recolhimento e pagamento do FGTS são realizados.

Em suma, a movimentação média anual do FGTS gira em torno de impressionantes R$ 180 bilhões, demonstrando a importância econômica desse fundo para o país.

De acordo com informações divulgadas pela Serpro, a fase de testes está programada para se estender até 10 de novembro. Durante esse período, serão feitas avaliações minuciosas para garantir que a plataforma esteja funcionando de maneira eficaz e sem falhas.

Transformações promovidas pelo FGTS Digital

De forma geral, uma das principais mudanças proporcionadas pelo FGTS Digital diz respeito ao processo de recolhimento pelas empresas. Atualmente, o procedimento envolve várias etapas. Desse modo, incluindo a emissão da folha de pagamento, envio do documento a um sistema de recolhimento da Caixa, aguardo de outro documento e, finalmente, quitação.

Além disso, é necessário acessar um sistema adicional da Caixa para realizar a transmissão e envio. Desse modo, com a chegada do FGTS Digital, esse processo será simplificado e otimizado.

A folha de pagamento será transmitida automaticamente para o eSocial. Um sistema de compartilhamento de informações, que por sua vez integrará os dados com o FGTS Digital. Em resumo, tudo o que as empresas precisarão fazer é acessar o ambiente online para efetuar o pagamento. Assim, eliminando a necessidade de múltiplos sistemas e etapas.

Governo lança fase de testes do FGTS Digital
Governo lança fase de testes do FGTS Digital. Imagem: Reprodução.

Calendário de lançamento e benefícios esperados

Em 19 de agosto, está prevista uma suspensão temporária no funcionamento do eSocial, das 8h às 12h, devido ao início da fase de testes do FGTS Digital. Nesse mesmo dia, no período da tarde, a nova plataforma estará disponível para empresas do Grupo 1, que possuem faturamento superior a R$ 78 milhões. Para as demais companhias, a utilização do FGTS Digital será liberada a partir de 16 de setembro.

O governo brasileiro tem expectativas ambiciosas em relação aos benefícios que o FGTS Digital trará. Com a implementação completa, o governo almeja diminuir o tempo investido pelas empresas no procedimento de recolhimento do FGTS, reduzindo-o de 34 para 25 horas por mês.

Além disso, a plataforma tem o potencial de eliminar burocracias e reduzir custos operacionais. Durante uma transmissão ao vivo direcionada a revelar as etapas de teste do FGTS Digital, o Ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, incentivou as empresas a se envolverem ativamente nesse estágio inicial de experimentação.

Ele ressaltou que a partir de janeiro, o sistema estará em pleno funcionamento e encoraja as empresas a se familiarizarem com a plataforma durante a fase de testes.

Transparência e benefícios para todas as partes

O Ministro do Trabalho também destacou que o FGTS Digital trará mais transparência e benefícios tanto para o governo quanto para empregadores e trabalhadores.

Além disso, a procuradora-geral da Fazenda Nacional reforçou essa ideia, afirmando que o sistema será uma fonte rica em dados, permitindo um melhor entendimento dos empregadores inscritos em dívida ativa, além de melhorar o fluxo de oferta de meios de quitação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.