Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

ESTA demissão é “surto de autoritarismo”, diz Onyx

O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, disse nesta quarta-feira (03) que a demissão por exigência de vacinação na verdade seria um “surto de autoritarismo”. A entrevista foi concedida a CNN e aconteceu na sequência de uma portaria que proíbe a prática.

Veja também: Auxílio emergencial 2021: NOVOS pagamentos confirmados

“O que está sendo feito é uma distorção do direito coletivo tentando evitar que as pessoas tenham o direito constitucional da livre escolha, da liberdade individual respeitado. Nós em nenhum momento dissemos que a vacina não é importante. O que nós estamos protegendo aqui é o direito que o cidadão tem de escolher se ele quer ou não receber a vacina”, defendeu o ministro, Onyx.

Na última semana o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), demitiu pelo menos 3 pessoas, em cargos comissionados, que se recusaram a tomar vacina da Covid-19 – o que Onyx fez questão de criticar. “Eu vi o prefeito de São Paulo nos últimos dias demitindo gente e, no dia que foi emitida a portaria, disse que ia continuar demitindo. Por que esse surto de autoritarismo? Por que desrespeitar pessoas? Por que não respeitar o livre arbítrio das pessoas?”, continuou o ministro.

Portaria que proíbe demissão

Publicada na segunda-feira (01),  a portaria estabelece como “prática discriminatória” a apresentação da carteira de vacinação em processos seletivos de admissão de trabalhadores ou então demissão por justa causa.

“Ao empregador é proibido, na contratação ou na manutenção do emprego do trabalhador, exigir quaisquer documentos discriminatórios ou obstativos para a contratação, especialmente comprovante de vacinação”, diz a portaria do Ministério do Trabalho.

Ainda assim, a norma determina que a empresa poderá exigir testagem do Covid-19, para conservar as “as condições sanitárias no ambiente de trabalho”

Podem me demitir se eu não me vacinar?

Mesmo assim, não se vacinar pode ser um problema e a não demissão é incerta, já que que é contrária ao posicionamento de advogados da área e também do Tribunal Superior do Trabalho. O motivo? A imunização não teria só a haver com a individualidade do funcionário, mas sim atingira o coletivo. As informações são do Brasil Econômico.

Em alguns processos que já tramitaram na Justiça, inclusive, as empresas foram autorizadas a demitir os funcionários por justa causa. Desta forma, não se vacinar não deve garantir que de fato você não será demitido. Mesmo com a portaria, o cenário não é ideal, caso trabalhe e não queira correr o risco de uma demissão, ou se tiver procurando emprego e participe de uma entrevista.

Gostou do artigo? Comente abaixo sua opinião e compartilhe com outras pessoas que se interessam pelo assunto.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.