Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Empresas gastaram R$ 116 bilhões apenas com afastamentos na pandemia

Uma pesquisa recente realizada pela Closecare, que é uma startup de gestão de saúde, mostrou que o tempo médio dos atestados médicos chegou a 3,8 dias de trabalho, resultando em afastamentos na pandemia para as empresas.

A média aumentou bastante, comparando com o histórico de atestado do trabalhador brasileiro que dura em torno de dois dias. A principal causa para o aumento do tempo médio de afastamento foi o número de infecções por Covid-19, o que fez com que os profissionais brasileiros tivessem de se ausentar por maior tempo.

O tempo médio dos atestados subiu 76% durante a pandemia, sendo que a quantidade de atestados apresentados pelos trabalhadores subiu 20% no período. Por conta disso, as empresas tiveram um maior impacto financeiro e registraram uma perda média de R$ 116 bilhões de janeiro de 2020 até junho de 2021.

Como seria o levantamento normal para as empresas sem uma pandemia?

Considerando em um período sem uma pandemia, o custo médio de um atestado fica em torno de R$ 414 contra os R$ 846 médios durante a pandemia, se referindo à uma ausência de sete dias, sendo cinco dias úteis perdidos mais os dias do final de semana que são relativos ao período de descanso.

Também é necessário ressaltar que o período do atestado pode variar de acordo com o tratamento para cada funcionário, assim como o valor que será gasto para cada tipo de atestado.

Empresários também gastaram mais com produtos de limpeza

Com a chegada da pandemia de coronavírus, as empresas passaram a investir ainda mais em produtos de limpeza e higiene pessoal, com cuidados que sempre devem existir para evitar com que os seus funcionários se contaminem.

Entre as recomendações que vão seguir mesmo com o avanço da vacinação, é de lavar as mãos com álcool e gel, para evitar o contágio. O álcool líquido também é utilizado para a limpeza das superfícies da forma correta.

Quem saiu ganhando durante o período foram as empresas de limpeza, que viram a procura pelos seus produtos crescer 30%. Muitas empresas acabaram afastando funcionários por conta da pandemia, através do modelo home office que se popularizou no mundo.

Gastos com saúde não devem ser vistos como desnecessários

Mais do que nunca antes visto, as empresas e funcionários deram ainda mais importância para a cobertura de saúde que cada empresa oferece. Os clientes também passaram a ser mais exigentes em relação à limpeza, pois vendo que um local está limpo, eles se sentiram mais à vontade para contratar aquele serviço.

Para 2022, é esperado que a retomada da economia seja acelerada com praticamente toda população vacinada, o que será um alívio para o caixa de muitas empresas. O comércio é um dos setores que mais teve perdas durante a pandemia, ainda mais por se tratar de um setor com pequenos empresários, que dependem do dia a dia para fazerem os seus lucros, onde normalmente não é possível se dar ao luxo de grandes recessos. 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.