Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Educação: Encerramento de contrato por morte do funcionário sobe 128% em 2021

O número de contratos de trabalho encerrados por conta da morte de funcionários na área da educação cresceu 128% nos primeiros quatro meses de 2021, quando comparado com o mesmo período de 2020.

Os números apontados fazem parte de um levantamento divulgado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

De acordo com o Dieese, foram 1.479 desligamentos por morte na área de educação entre janeiro e abril de 2021, número bem acima dos 650 no mesmo período do ano passado.

A saber, o setor respondeu por 4,2% dos desligamentos por esse motivo no Brasil.

Entre os meses de março e abril de 2021, o país enfrentou o pior momento da pandemia do novo coronavírus. Afinal, o número de mortes diárias por covid-19 superou a marca dos 4.000.

Pior momento da pandemia corroborou para o aumento dos números

Ademais, Manaus enfrentou o colapso do sistema de saúde em janeiro, com falta de oxigênio e leitos nos hospitais, corroborando consideravelmente para o aumento dos números. 

Além disso, os professores estão entre os mais afetados pela doença. Os profissionais do ensino (professores e coordenadores, entre outros) foram os que mais tiveram vínculos encerrados por morte: 612, em 2021.

Os funcionários que prestavam serviços como: faxineiros, porteiros, zeladores e cozinheiros formaram o segundo subgrupo mais afetado, com 263 encerramentos de contratos por morte.

Quando a análise é realizada por estados, Rondônia, Amazonas e Mato Grosso tiveram os maiores crescimentos no número de desligamentos por morte nos primeiros quatro meses de  2021, na comparação com o mesmo período de 2020.

Esses três estados também apresentaram as maiores taxas de mortalidade pelo novo coronavírus até junho de 2021.

Em Rondônia, o aumento nos desligamentos por morte foi de 1.600%, foram 17 contratos encerrados entre janeiro e abril contra apenas um no mesmo período do ano passado. 

Já no Amazonas, a alta foi de 925% com 41 desligamentos, e o Mato Grosso registrou crescimento de 525% com 25 contratos encerrados.

E então, gostou da matéria? Compartilhe com quem precisa saber disto! 

Não deixe de ler também – Como diminuir a ansiedade para estudar?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.