Disney+ vai custar mais caro e deixa brasileiros assustados

A indústria do entretenimento está em constante evolução, e os serviços de streaming desempenham um papel crucial nessa transformação. No entanto, mesmo os gigantes do setor, como a Disney, não estão imunes às flutuações do mercado.

Estratégias da Disney+ para enfrentar desafios financeiros: aumento de preços e diversificação

Em suma, diante de quedas nas vendas e desafios financeiros, a Disney+ está adotando medidas para revitalizar seu modelo de negócios. Confira as estratégias da Disney+ para enfrentar a queda de adesões e melhorar sua receita, com foco principal no aumento de preços.

Aumento de preços da Disney+

Diante das dificuldades enfrentadas no cenário do streaming, a Disney+ optou por uma abordagem de aumento de preços como parte de sua estratégia para enfrentar quedas nas adesões e lacunas na receita. Visto que no início deste ano, a plataforma já havia realizado um reajuste, aumentando a mensalidade da categoria sem anúncios de US$ 7,99 para US$ 10,99. Contudo, a partir de outubro, planeja outro reajuste, elevando a mesma modalidade para US$ 13,99 mensais.

Razões por trás do aumento

De acordo com o CEO da Disney, Robert Iger, a justificativa para o aumento de preços está enraizada na necessidade de refletir de maneira mais precisa o valor das ofertas de produtos da empresa em quase 50 países ao redor do mundo.

Além disso, durante a teleconferência de resultados do terceiro trimestre fiscal, Iger destacou que o impacto nas taxas de rotatividade e retenção superou as expectativas, indicando que os consumidores perceberam e continuam a valorizar a proposta da Disney+.

No entanto, apesar do esforço para estimular o engajamento, a estratégia ainda não resultou no efeito desejado. Embora tenha conseguido reduzir as perdas de receita no terceiro trimestre, a Disney+ continua a operar sem lucro substancial para a empresa. Além disso, o serviço enfrenta a diminuição de assinantes nos Estados Unidos e no Canadá, mesmo diante do crescimento das adesões internacionais.

Impacto financeiro nos diversos setores da Disney

Os desafios financeiros da Disney vão além do âmbito do streaming. No terceiro trimestre fiscal, a receita da empresa atingiu US$ 22,3 bilhões, ligeiramente abaixo das previsões de US$ 22,5 bilhões.
Entretanto, a receita proveniente da televisão linear registrou uma queda de 7% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Ainda assim, o CEO Iger ressaltou que, apesar das dificuldades, a Disney possui uma base sólida de excelência criativa e marcas reconhecíveis que sustentam sua trajetória de longo prazo. Pois ele demonstra confiança na capacidade da empresa de superar os desafios financeiros com base em suas marcas populares e franquias bem estabelecidas.

Estratégias da Disney+ para enfrentar desafios financeiros: aumento de preços e diversificação
Estratégias da Disney+ para enfrentar desafios financeiros: aumento de preços e diversificação. Imagem: Reprodução

Parques temáticos: um contraste positivo

Enquanto a situação financeira em várias frentes é desafiadora, os parques temáticos da Disney se destacam como um ponto positivo. No último trimestre, as receitas provenientes dos parques, experiências e produtos da Disney cresceram em impressionantes 13%, totalizando US$ 8,3 bilhões.

Em suma, essa ascensão se deve principalmente ao desempenho dos parques internacionais, incluindo o Shanghai Disney Resort e o Hong Kong Disneyland Resort. Apesar disso, a receita dos parques domésticos nos Estados Unidos apresentou uma ligeira queda, compensando parte do crescimento internacional.

De modo geral, esse contraste demonstra a relevância estratégica dos parques na abordagem global da Disney, bem como o impacto significativo da pandemia de Covid-19 no setor do entretenimento. Certamente, a Disney+ está enfrentando desafios financeiros e de adesão, mas está determinada a superá-los.

No entanto, seu plano de aumento de preços é uma das estratégias para melhorar sua receita e consolidar seu valor para os consumidores. Por fim, a empresa reconhece que ainda há trabalho a ser feito, mas a confiança na base sólida de suas marcas e franquias oferece uma perspectiva otimista.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.