Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial de R$600 até o fim do ano? Veja os projetos dos senadores

Os senadores criticaram a ideia de prorrogação do auxílio emergencial com valores menores que os atuais, R$ 600

Os senadores não gostaram da ideia de prorrogação do auxílio emergencial com valores menores que os atuais, R$ 600. A ideia do governo é pagar mais três parcelas, mas com valor decrescente, conforme informou o presidente Jair Bolsonaro: R$500, R$400 e R$300, nos meses de julho, agosto e setembro, respectivamente.

Os parlamentarem defendem que o auxílio seja mantido com o mesmo valor e também até o final do ano, ou enquanto durar a pandemia do novo coronavírus.

“Qual o sentido de regatear [negociar, pechinchar] com o desespero dos mais vulneráveis com essa nova proposta de redução escalonada do auxílio emergencial?”, questionou o senador Jean-Paul Prates (PT-RN) em artigo publicado nesta semana. “Quando aprovamos o auxílio, o prazo de três meses já era muito curto diante das consequências econômicas que prevíamos”, acrescentou.

Segundo Bolsonaro, o Governo estuda pagar R$ 500, R$ 400 e R$ 300, somando assim mais R$ 1.200.

Prates é autor do projeto de lei (PL) 2.627, que propõe o pagamento do auxílio emergencual de R$600 enquanto durar o estado de calamidade pública aprovado pelo Congresso Nacional até 31 de dezembro deste ano.

Além dele, outros senadores apresentaram propostas nesse sentido. O PL 3.426/2020, do senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL), estende o pagamento do benefício até o final do ano, também mantendo o valor de R$600.

“Não prorrogar o auxílio emergencial, e em R$ 600, significa empurrar milhões de brasileiros para as ruas e para a doença. A economia certamente não se beneficiará com mais medo e mais mortes. Nunca é demais lembrar que o auxílio mantém aquecido o comércio de bens e serviços básicos, e que parte do gasto volta ao Estado na forma de arrecadação”, ressaltou.

O PL 2.928/2020, de autoria da senadora Zenaide Maia (Pros-RN), vai além. Ela não só prorroga o prazo de pagamento do auxílio como amplia o benefício para outras categorias de trabalhadores.

“A prioridade é salvar vidas, e não tem como salvar vidas sem um isolamento social. Mas as pessoas mais carentes e vulneráveis desse país não vão fazer o isolamento social se não houver uma proteção a essa população por parte do Estado brasileiro”, defendeu.

Renda mínima

A renda mínima é outro tema que vem sendo discutido. A ideia é de criação de um programa que garanta renda mínima permanente para os mais pobres. É o caso do líder do DEM, Rodrigo Pacheco (MG).

“Além de um grande projeto nacional de reestruturação do País sobre o regime de concessões, privatizações e investimentos em infraestrutura, nós vamos precisar pensar no social. Que me perdoem aqueles que pensam no Estado mínimo ou no Estado máximo, eu defendo o Estado necessário, presente na vida das pessoas”, disse o senador nas redes sociais.

Já o senado Paulo Paim (PT-RS) apoia que, a partir de 2021, uma renda básica de cidadania que atinja todo o povo brasileiro.

“Existem hoje 14 milhões de pessoas vivendo na extrema miséria no Brasil. Este é o quinto ano de aumento da miséria, o que traz implicações seríssimas para o País. Pesquisadores afirmam que o número de crianças pobres pode ficar ainda maior com a pandemia, que tende a empurrar mais famílias para a pobreza”, argumentou.

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) também é a favor da transformação do auxílio em um programa permanente de renda mínima. O senador entende que o benefício já foi pago para 59 milhões de brasileiros, trazendo retorno para a economia.

“Os investimentos do governo nas pessoas do setor produtivo, além de beneficiar milhões de pessoas e empresas, sempre retornam para a economia e para a União na forma de tributos ou no aumento do PIB [Produto Interno Bruto]”, disse.

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

Veja também: Auxílio de R$600: Bolsonaro diz que vai pagar mais três parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300

Leia Também:

brasil 123  
14 Comentários
  1. Dandara Diz

    Enquanto isso passamos fome moramos nas ruas .. será q nosso presidente tbm aceitaria esperar dois meses para receber o salário dele??? O Brasil está uma vergonha… tenho 3 filhos não estou trabalhando no momento e minha terceira parcela do sai em setembro até lá oque eu faço??? Pq eles não facilitam muitos tem conta poupança não não foi creditada nela .. Pq ao invés dessa mera mesa de caixa tem não colocam o dinheiro direto la ??

  2. Cristina Diz

    E quanto quem está aguardando o bolsa familia serem aprovado

  3. Vera Giivanella Diz

    E as Mae’s sozinhas ainda receberāo em dobro?
    No caso de 500 receberāo 1000? De 400 receberāo 800 e de 300 será 600?

  4. Lucia Helena Diz

    Isso é um absurdo como é que a pessoa tá com fome agora e vai esperar para setembro só no Brasil mesmo por isso vai até o final do ano Setembro Outubro novembro dezembro só um burro nao entender a matemática deles

  5. Adalberto Diz

    É um absurdo o senhor presidente Jair Bolsonaro dizer que vai dá mais três parcelas mais o calendário mudou a favor dele enquanto a terceira parcela só irá terminar de ser paga no mesmo mês que já deveria está terminando de pagar as três parcelas adicionais ⁹

    1. Lara Feitosa Pinheiro Diz

      Disse tuudoo.
      Fazem a gente de besta.

  6. Sueli Diz

    Uma vergonha esse presidente fazendo com p povo bando de porco

  7. Claudia Diz

    O Bolsonaro falou que paga até 1000 se os deputado e senadores ajudasse com uma pequena % dos salários deles. Mas duvido se eles aceitam

  8. SOLANGE APARECIDA DE OLIVEIRA CESAR Diz

    Com certeza, e este mês a pessoa faz o que sem o auxílio, que bela ajuda heim, complicou foi a vida de muita gente.

  9. Regiane Diz

    É uma vergolha faso aniversario em outubro so vo pode saca em setenbro que iso

  10. Revson cosme Diz

    Mais o que era ruim pode ficar pior com esses calendários absurdo de saque por ex: uma pessoa que completa ano em novembro so poder sacar em setembro a [email protected] parcela que absurdo

    1. Iatā Diz

      Não uma pessoa que faz em julho pode sacar em 2 de setembro

    2. Antônio Diz

      Centrão levou.paulo Guedes levou.bozo lev

      Do povão sem vergonhaentirosos

    3. Judith Diz

      Então quem nasceu em março, só em agosto.
      E o mês de julho fazemos o que?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?