Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Dados de empregos formais cai pela metade

Uma revisão dos dados de 2020 fez com que os índices de geração de empregos caísse praticamente pela metade. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e pelas novas estatísticas foram abertas 75.883 vagas de emprego ao invés de 142.690 vagas. As informações são da Agência Brasil.

Veja também: Auxílio emergencial 2021: NOVOS pagamentos confirmados

A correção da estimativa chamou atenção pela queda expressiva. O resultado é fruto do cálculo entre vagas de emprego abertas, pelo número de demissões. Os dados iniciais apontavam um total de 15.166.221 admissões contra 15.023.531 desligamentos. Com a nova estimativa os números foram para contratações 15.361.234 e 15.437.117 desligamentos.

Ministério do Trabalho explica

O Ministério do Trabalho e Previdência disse que as alterações nos números na verdade aconteceram devido a envio de declarações atrasadas, que foram entregues desta forma principalmente pela adaptação do sistema online.

“Ressaltamos que, mesmo com a mencionada revisão, o saldo do Caged de 2020 se mantém positivo, em que pese o pior momento da pandemia da covid-19”, destacou o ministério.

“A entrada de dados fora do prazo acontece quando as empresas declaram as informações de admissão e demissão após a competência em que a movimentação se realizou. A possibilidade de realizar esse tipo de declaração já existia no antigo Caged, havendo uma ocorrência um pouco maior neste momento devido ao processo de transição para a declaração via eSocial, que ocorreu para um número significativo de empresas ao longo de 2021”, finalizou o Ministério do Trabalho e Previdência.

Novo cadastro de empregos

Até 2019 o saldo de novas vagas de empregos e demissões era feito manualmente, já em 202o, como a pandemia, em março foi lançado o sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial).

Neste período, o governo deixou de divulgar o número total de admissões e desligamentos, alegando que o tempo seria necessário para adaptação. Isso divulgando apenas os dados até dezembro de 2019.

Depois de todo esse período sem qualquer divulgação relacionado ao fechamento e abertura de vagas de emprego, foi divulgado em maio de 2020 as estatísticas. Mas uma mudança chamou atenção, foram incluídos também os trabalhadores temporários e bolsistas, o que impossibilitou a comparação dos dados com outros anos.

Apenas agora, pouco tempo para o fim do ano de fato os dados foram corrigidos, sobre a alegação totalmente voltada ao novo sistema, como declarações atrasadas.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.