Crimes virtuais envolvendo o PIX; Saiba como se defender!

A tecnologia tem facilitado muito o dia a dia dos brasileiros, sendo possível evitar filas de Lotéricas, instituições bancárias e até mesmo fazer compras de forma totalmente remota. Apesar de todas essas vantagens, um dos problemas da tecnologia envolvendo pagamentos são os crimes virtuais, que estão se tornando cada vez mais corriqueiros. 

Pensando nisso, buscaremos destacar alguns dos principais crimes virtuais aplicados nos últimos anos. Além disso, nesse artigo vamos compartilhar algumas dicas para que os leitores se protejam de golpes e fraudes na internet

Crimes virtuais envolvendo o PIX

O PIX, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central do Brasil, foi lançado no ano de 2020 com o intuito de auxiliar os brasileiros oferecendo um novo método de transferência entre bancos. O PIX é totalmente gratuito e permite que pagamentos sejam feitos em poucos segundos. Por conta disso, o número de transações do sistema só aumenta a cada dia. 

Por ser um dos métodos de pagamento mais utilizados no país, criminosos têm se aproveitado do PIX para aplicar golpes e fraudes. Sendo assim, é importante sempre estar atento e conhecer as práticas mais realizadas pelos fraudadores. 

Nos últimos meses, muitos consumidores têm relatado cair em golpes por meio de sites falsos. Na maioria dos casos, os golpistas oferecem os mesmos produtos de outras lojas com preços muito inferiores. Além disso, o domínio da página na internet pode ser muito parecido com outras lojas varejistas tradicionais, fazendo com que os cidadãos se confundam e acabem saindo no prejuízo. 

A clonagem do WhatsApp também é um dos crimes virtuais mais realizados nos últimos anos. Para que isso aconteça, os criminosos podem se passar por uma empresa solicitando que a vítima clique em um link, de forma que torna-se possível clonar o WhatsApp do cidadão, ou utilizam um novo número com a foto da vítima. Desta forma, os fraudadores se passam pela vítima para pedir dinheiro para familiares e amigos. 

Outro crime virtual bastante praticado é o QR Code falso. Recentemente algumas denúncias vêm sendo realizadas de casos onde golpistas utilizam um QR Code próprio em campanhas de ONGs e outras arrecadações voluntárias.

Por fim, é importante conhecer o golpe do “Atendimento bancário”, onde os cidadãos recebem mensagens ou ligações de fraudadores se passando por colaboradores de instituições bancárias e solicitando que as vítimas cadastrem uma chave PIX na instituição. Nesses casos, os golpistas pedem para que a vítima envie um valor para confirmar a operação.

Veja algumas dicas para não cair em golpes digitais 

O primeiro passo para evitar cair em golpes virtuais é desconfiar de descontos e situações que pareçam muito vantajosas, pois geralmente elas não são reais. Sendo assim, é importante não acreditar em supostas premiações onde o consumidor nem tenha se inscrito. 

Além disso, é essencial que os cidadãos sempre confiram a URL do site antes de confirmar uma operação, pois como já foi dito anteriormente, geralmente o domínio de páginas criadas por criminosos são bastante semelhantes aos originais. Por fim, se a vítima acabou caindo em algum dos crimes virtuais citados acima, é recomendado realizar um boletim de ocorrência.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.