Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Corte no MEC pode afetar educação básica em até R$ 1 bilhão

O governo enviou uma proposta ao Congresso Nacional que prevê retirar R$ 1,4 bilhão do orçamento do Ministério da Educação (MEC) para este ano. O corte no MEC tem objetivo de redirecionar os recursos para obras federais.

Desse modo, o projeto do Planalto prevê a ampliação de recursos para os ministérios de Infraestrutura e Desenvolvimento Regional para uso até dezembro. No entanto, a proposta ainda deverá pela análise de deputados e senadores.

Caso o projeto seja aprovado na Câmara dos Deputados e no Senado, o corte no MEC afetará os recursos para livros didáticos e transporte escolar. Nesse sentido, o projeto prevê o corte de R$ 298,5 milhões destinados à produção, aquisição e distribuição de livros e materiais didáticos e R$ 4,1 milhões que seriam para a compra de veículos para o transporte escolar – atingindo TO, RN, PB, SP, PR, GO e MS.

Ao todo, a educação básica pode sofrer com a redução dos recursos em cerca de R$ 1,1 bilhão voltados para reformas de escolas e compra de móveis em alguns estados (Goiás, Rondônia, Pará, Roraima, e Tocantins).

Há ainda previsão de cortes na educação tecnológica e profissional. Assim, as universidades e institutos federais também passarão por reduções nas despesas.

Bloqueio de recursos na pandemia

Além desse projeto, o governo já havia bloqueado parte dos recursos do MEC em decorrência da pandemia que afetou a realização de diversos programas, o que levou a pasta a solicitar a liberação dos recursos.

De acordo com Milton Ribeiro, chefe da pasta, o bloqueio dos recursos se deu em parte para pagar emendas parlamentares. Assim, o dinheiro da educação foi retirado para aumentar os recursos de outras áreas.

O governo de Jair Bolsonaro afirmou em 2019 que os primeiros anos no ensino básico teriam prioridade no MEC na gestão do atual presidente do país.

E aí? Gostou do texto? Então deixe o seu comentário!

Clique aqui para ver mais sobre a área de educação.

Leia também IBGE: 14,7% dos alunos brasileiros não tiveram atividades na 2ª semana de setembro.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.