Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Como a mudança de escola no meio do ano pode ser menos traumática

Especialista explica qual a função dos responsáveis e o que fazer para ajudar os filhos durante a transição

A mudança de escola no meio do ano letivo sempre foi algo normal nos colégios brasileiros. Qualquer mudança gera angústia e preocupação.

Sair de uma escola para outra não é algo simples para crianças e adolescentes e, na maioria das vezes, mudar de colégio não é algo que é escolhido de livre e espontânea vontade entre os alunos e os pais.

Problemas financeiros, mudança de casa, bullying ou adaptação acadêmica podem ser fatores cruciais na hora de tomar essa decisão.

Para os responsáveis, as indagações são as mesmas que as dos filhos: “será que vão conseguir se adaptar?”, “será que os colegas irão recebe-los de maneira correta?”, “será que o colégio novo é legal?”. Todas essas preocupações podem ser amenizadas ou até mesmo evitadas se os responsáveis se prepararem antes de escolher o colégio novo.

Dicas para adaptação

De acordo com Marizane Piergentile, diretora de educação da Rede Adventista das unidades do ABCDM e Baixada Santista, é importante que a família separe um tempo especial para encontrar um lugar perfeito para o jovem.

“Ao visitar as novas opções escolares, esteja aberto aos lugares. É sempre bom lembrar que a instituição não irá mudar o seu método de ensino, por isso é importante se colocar à disposição para diversas possibilidades na hora da escolha”, explica a diretora.

Outro passo importante é levar o estudante para conhecer o novo colégio e perguntar como ele se sente naquele novo ambiente. Uma vez que a decisão estiver feita, peça uma avaliação diagnóstica de seu filho para entender qual o nível acadêmico da classe antes da mudança.

Quando estiver com a avaliação em mãos, procure ir atrás de aulas de reforço para ajudar o estudante a acompanhar as aulas. “Observe antes de agir. Analise as crianças e os jovens e veja quais as atividades que elas estão acostumadas a fazer e procure achar uma forma de alinhar seu filho a essa nova realidade”, aconselha a diretora de educação.

Nos primeiros dias de aula, é fundamental acompanhar a criança até a escola e principalmente se atentar ao horário para não causar desconforto. “O ambiente escolar é a coisa mais importante na vida dos alunos, principalmente para os adolescentes, que estão começando a encarar os problemas sociais e pessoais. É necessário fazer um esforço para que a transição de escola seja o mais confortável e tranquilo o possível”, finaliza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.