Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Cidadãos criticam aumento do fundo eleitoral: “E o Auxílio Emergencial?”

Personalidades, internautas e políticos usaram as suas redes sociais para criticar o aumento em meio ao Auxílio de R$ 150

Personalidades das mais diversas áreas decidiram usar as suas redes sociais nesta quinta-feira (15), para criticar o aumento do fundo eleitoral. É que o Congresso Nacional aprovou por uma longa margem esse adicional para o ano de 2022. Agora, os políticos terão cerca de R$ 5,2 bilhões à disposição no ano eleitoral. É quase o triplo do que aquilo que se viu em eleições anteriores.

A informação gerou uma certa revolta nas redes sociais e não faltaram comparações com a liberação do dinheiro para o Auxílio Emergencial. Muita gente argumentou que o Governo Federal poderia usar pelo menos uma parte dessa quantia para criar um benefício social novo ou ao menos inserir mais gente dentro do programa social atual.

De acordo com dados da PEC Emergencial, que também passou por aprovação no Congresso, o Governo tem direito de usar até R$ 44 bilhões com os pagamentos do Auxílio Emergencial. No entanto, segundo informações do próprio Palácio do Planalto, eles não irão usar essa quantia toda com esses quatro primeiros repasses do programa.

“É inaceitável que em meio à pandemia o Congresso aprove um novo aumento para o Fundo Eleitoral. São R$ 5,7 bilhões que poderiam ser investidos em programas como o auxílio emergencial, e agora serão desperdiçados com campanhas eleitorais. Vergonha”, disse o Senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) em seu Twitter oficial.

A Deputada Federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP) também criticou o aumento. “Escandaloso! A Câmara aprovou a LDO para 2022 com um fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões. Enquanto isso, o povo amarga o crescimento da fome e do desemprego com um auxílio emergencial insuficiente. O PSOL votou contra”, disse ela.

Auxílio Emergencial

Vale lembrar que vários setores da sociedade estão pedindo o aumento nos valores atuais do Auxílio Emergencial há muito tempo. No entanto, o Governo Federal segue afirmando que os cofres da União não suportam mais gastos deste tipo.

De acordo com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, o país não está mais sob a batuta do período de calamidade pública, como estava acontecendo no ano passado. Dessa forma, o Palácio do Planalto precisaria voltar a respeitar o teto de gastos públicos.

Recentemente, Guedes disse que poderia aumentar o valor do Auxílio Emergencial e até mesmo do novo Bolsa Família. No entanto, ele disse que isso só aconteceria se o país vendesse boa parte das suas empresas estatais.

Valores

De acordo com as informações do Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial atual está chegando na casa de 37 milhões de pessoas. Os valores, aliás, seguem os mesmos desde o início dos pagamentos. São parcelas que variam entre R$ 150 e R$ 375.

No ano passado, o Governo chegou a pagar o benefício para quase 70 milhões de pessoas. E no começo dos repasses, eles chegaram a realizar seis pagamentos que poderiam chegar até a R$ 1200 para as mães chefes de família.

Recentemente, o Governo Federal anunciou a prorrogação do Auxílio Emergencial por mais três meses. Assim, o programa que iria apenas até julho, agora deverá seguir, pelo menos, até o próximo mês de outubro deste ano. Os valores devem seguir os mesmos. É o que diz o Planalto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.