CAIXA disponibiliza SAQUE de R$6.220,00; confira se você tem direito

A Caixa Econômica Federal disponibilizou o saque por calamidade para os moradores do município de Santa Tereza, no Rio Grande do Sul. Essa medida visa auxiliar os trabalhadores que foram afetados pelas fortes chuvas na região. Neste artigo, você encontrará todas as informações necessárias para solicitar o saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por calamidade de forma rápida e fácil.

Quem pode solicitar o saque por calamidade?

Os trabalhadores residentes em Santa Tereza, cujos endereços foram identificados pela Defesa Civil Municipal como áreas afetadas pelas chuvas, podem solicitar o saque do FGTS por calamidade. É importante ressaltar que é necessário possuir saldo na conta do FGTS e não ter realizado saque pelo mesmo motivo em período inferior a 12 meses. O valor máximo para retirada é de R$6.220,00.

Como solicitar o saque por calamidade?

A solicitação do saque por calamidade na Caixa pode ser feita de forma fácil e rápida através do aplicativo FGTS. Siga o passo a passo abaixo para realizar a solicitação:

  1. Realize o download do aplicativo FGTS, disponível gratuitamente nas plataformas digitais para os sistemas operacionais Android e IOS.
  2. Faça o cadastro no aplicativo, inserindo todas as informações necessárias.
  3. Acesse a opção “Meus Saques” e selecione “Outras situações de saque – Calamidade pública”.
  4. Escolha a cidade de Santa Tereza.
  5. Encaminhe os documentos necessários, como foto de documento de identidade e comprovante de residência em nome do trabalhador, emitido até 120 dias antes da decretação de calamidade.
  6. Selecione a opção para creditar o valor em conta Caixa, seja na Poupança Digital Caixa Tem ou em outro banco, e envie a solicitação.
  7. O prazo para análise e crédito em conta, caso aprovado o saque, é de cinco dias úteis.

Documentação necessária

Para solicitar o saque por calamidade na Caixa, é importante ter em mãos os seguintes documentos:

  • Carteira de Identidade, carteira de habilitação ou passaporte;
  • Comprovante de residência em nome do trabalhador, como conta de luz, água ou outro documento recebido via correio, emitido até 120 dias antes da decretação de calamidade;
  • Caso o comprovante de residência esteja em nome de cônjuge ou companheiro(a), é necessário apresentar a Certidão de Casamento ou Escritura Pública de União Estável.

Contato e mais informações

Para mais informações sobre o saque por calamidade na Caixa, os trabalhadores podem acessar o site oficial da instituição ou entrar em contato pelo Fale Conosco no telefone 0800 726 0207.

Lembre-se de verificar se você possui direito ao saque por calamidade e aproveite essa oportunidade disponibilizada pela Caixa Econômica Federal para auxiliar os trabalhadores afetados pelas chuvas em Santa Tereza.

O que é o Saque Calamidade do FGTS?

O Saque Calamidade do FGTS é uma medida disponibilizada pela Caixa Econômica Federal que visa auxiliar os trabalhadores que foram afetados por desastres naturais, como enchentes, inundações, vendavais, entre outros. Essa modalidade permite que o trabalhador faça o saque do saldo disponível em sua conta do FGTS para suprir suas necessidades emergenciais decorrentes desses desastres.

Quem tem direito ao Saque Calamidade do FGTS?

Para ter direito ao Saque Calamidade do FGTS, é necessário que o trabalhador esteja em uma área que tenha sido declarada em estado de emergência ou de calamidade pública pelo governo do Distrito Federal, Município ou Estado. Essa declaração deve ser feita por meio de um decreto e publicada em um prazo de até 30 dias após o ocorrido. Além disso, é preciso que o desastre natural seja reconhecido por meio de uma portaria do Ministro de Estado da Integração Nacional.

Quais são os tipos de desastres naturais considerados para o Saque Calamidade?

Diversos tipos de desastres naturais são considerados para o Saque Calamidade do FGTS. Entre eles, destacam-se:

  • Enchentes ou inundações graduais;
  • Enxurradas ou inundações bruscas;
  • Alagamentos;
  • Inundações litorâneas provocadas pela brusca invasão do mar;
  • Precipitações de granizos;
  • Vendavais ou tempestades;
  • Vendavais muito intensos ou ciclones extratropicais;
  • Vendavais extremamente intensos, furacões, tufões ou ciclones tropicais;
  • Tornados e trombas d’água;
  • Desastres decorrentes do rompimento ou colapso de barragens que causem movimento de massa, com danos a unidades residenciais.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.