Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Bolsonaro deve ter reuniões com Ministro para decidir sobre Auxílio Emergencial

O Auxílio Emergencial vai passar por uma prorrogação de dois ou três meses? Essa é uma pergunta que muita gente ainda não sabe a resposta. O Ministro da Economia, Paulo Guedes, deixou claro para jornalistas que quem vai tomar essa decisão é o Presidente da República, Jair Bolsonaro.

De acordo com o Ministro, Bolsonaro vai participar de uma série de reuniões com o chefe da pasta da Cidadania, João Roma nos próximos dias. Nesses encontros, os dois deverão discutir a necessidade da prorrogação do programa por mais alguns meses.

Além disso, eles terão o apoio técnico de alguns membros do Ministério da Saúde. É que essas pessoas irão atualizar Bolsonaro sobre a situação da vacinação no Brasil. E esse é um ponto crucial sobre a prorrogação do Auxílio Emergencial no Brasil.

É que de acordo com Paulo Guedes, a prorrogação do benefício depende diretamente do ritmo dessa vacinação. Se a campanha acelerar, o programa vai ter apenas dois meses a mais. No entanto, se a situação seguir como está agora, então é provável que o projeto ganhe mais três meses.

Paulo Guedes se baseou em uma promessa dos Governadores de São Paulo, João Dória (PSDB) e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Os dois prometeram vacinar toda a população adulta até o próximo mês de setembro. Agora falta saber se eles irão conseguir, e se os outros governadores, que não prometeram nada, irão conseguir também.

Novo Bolsa Família

Essa decisão que o Presidente Jair Bolsonaro vai tomar deve ter várias implicações. Uma delas vai ser justamente a data de estreia do novo Bolsa Família. De acordo com as informações do Ministro Paulo Guedes, um programa vai começar assim que o outro chegar ao fim.

Então se o Auxílio durar até o próximo mês de novembro, o novo Bolsa Família vai começar em outubro. A ideia é portanto fazer com que os usuários “órfãos” do primeiro programa acabem entrando no segundo projeto. No entanto, não tem lugar para todo mundo.

De acordo com dados do Ministério da Cidadania, cerca de 39,1 milhões de brasileiros estão recebendo o Auxílio Emergencial neste momento. O novo Bolsa Família não deve comportar tanta gente assim. Então é provável que alguns milhões acabem ficando de fora do novo projeto.

Auxílio Emergencial

Enquanto eles não tomam uma decisão sobre o tamanho da prorrogação, os pagamentos do Auxílio Emergencial seguem normalmente. Nesta quinta-feira (17), aliás, é a vez daqueles que são usuários do Bolsa Família com Número de Inscrição Social (NIS) terminando em 1.

Esse grupo de pessoas irá começar a receber a terceira parcela do benefício. Os informais que nasceram em janeiro começarão a receber o repasse nesta sexta-feira (18). No entanto, no caso deles o dinheiro só vai aparecer de forma digital. Os saques só passam por uma liberação algumas semanas depois.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial segue com os mesmos valores de sempre. São quatro parcelas de montantes que variam entre R$ 150 e R$ 375. Em entrevista, o Presidente Jair Bolsonaro disse que a prorrogação do benefício deverá ter uma média de R$ 250 nos pagamentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.