Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial: NOVA prorrogação não é descartada para 2022

O ministro da Economia, Paulo Guedes, se pronunciou no início desta semana sobre a temática. Segundo ele, o atual programa social pode ser mantido.

Com a possibilidade da suspensão do novo Bolsa Família, o Governo Federal avalia renovação do auxílio emergencial em 2022. O ministro da Economia, Paulo Guedes, se pronunciou no início desta semana sobre a temática. Segundo ele, o atual programa social pode ser mantido.

O auxílio emergencial vem concedendo parcelas a população em situação de vulnerabilidade desde o ano passado. Diante a pandemia decorrente da Covid-19, o Governo decidiu implementar o programa emergencial.

De acordo com o atual presidente da república, Jair Bolsonaro, o benefício seria encerrado em outubro, com a implementação do Auxílio Brasil, mas o novo programa de transferência de renda pode não ser vigorado.

Auxílio Emergencial pode ser renovado

De fato, ainda não há confirmação sobre a nova extensão do programa, que só deve ser viável diante a suspensão do Auxílio Brasil. O novo Bolsa Família seria uma versão turbinada do atual programa social, no entanto, se encontra com alguns problemas orçamentários.

“Inadvertidamente o mundo empresarial vai a Brasília e faz um lobby contra o (projeto de reforma do) Imposto de Renda. Ele na verdade está inviabilizando o (aumento do) Bolsa Família. Vai produzir uma reação do governo que é o seguinte: ah é, então quer dizer que não tem fonte não, né? Não tem tu, vai tu mesmo. Então é o seguinte, bota aí R$ 500 logo de uma vez e é auxílio emergencial. A pandemia está aí, a pobreza está muito grande, vamos para o ‘vamos ver’”, disse o ministro durante evento do BTG Pactual.

Na ocasião, Guedes ainda afirmou não descartar a possibilidade da extensão, mas ressalta que essa ação criaria um novo problema ao Orçamento da União, uma vez que o auxílio já teve um custo superior a R$ 300 bilhões.

“Ora, está criando um problema tremendo para todo mundo, inclusive para quem vos fala. Eu não estou lá para fazer bagunça, e vai virar bagunça se não tiver uma solução tecnicamente correta”, salientou Guedes.

Veja também: Auxílio Emergencial 2021: confira as parcelas da prorrogação

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

1 comentário
  1. Luna luz Diz

    Muito engraçado não podem prorrogar o auxílio emergencial por causa que os cofres do governo estão quebrados, garanto que os políticos não param de comer carne e não se preocupam com o q vão e se vão comer amanhã o certo era eles abaixarem os salários e pararem de roubar aí dava pra ajudar o povo q está. Passando fome, eu não recebo auxílio estou trabalhando mas, não tá dando ou como ou pago as contas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.