Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

4.3/5 - (59 votes)

Auxílio Emergencial e prorrogação com valores maiores que R$375

De acordo com informações de bastidores, ministros do TCU estão dispostos a ajudar Bolsonaro em uma prorrogação do Auxílio Emergencial

O Governo Federal provavelmente terá total apoio do Tribunal de Contas da União (TCU) caso queira prorrogar o Auxílio Emergencial por mais tempo. Em conversas nos bastidores, ministros disseram que irão concordar com uma possível decisão de esticar o programa em questão por mais tempo. Agora só falta o Planalto concordar com isso.

Veja também: Site do auxílio emergencial de até R$375 fora do ar

De acordo com informações da imprensa, ministros do TCU estão inclusive dispostos a permitir que o Governo Federal aumente o tamanho do benefício. Já se fala na possibilidade de aumentar o número de usuários. Além disso, eles também discutem permitir o aumento dos valores do programa.

Segundo informações do Ministério da Cidadania, cerca de 39 milhões de pessoas receberam este ano pelo menos uma parcela do Auxílio Emergencial. São indivíduos que estão em situação de vulnerabilidade e também informais que estavam em dificuldades para fazer renda neste momento.

O Governo Federal optou por retomar esses pagamentos ainda em abril deste ano. Isso tudo depois de uma pausa de três meses sem nenhum tipo de repasse. Desta vez, os valores do benefício se dividiu em três. Uma parte dos usuários recebeu R$ 150 por mês, outros receberam R$ 250 e outros R$ 375.

Não se sabe para quanto isso poderia aumentar em uma possível nova prorrogação do benefício. Membros do TCU não quiseram entrar em detalhes sobre esse tema ainda. De qualquer forma, membros do Palácio do Planalto ficaram animados com a possibilidade de apoio do Tribunal em uma possível decisão de prorrogar o Auxílio.

Situação segue difícil

Isso tudo está acontecendo porque avaliação dos técnicos do TCU é que o Governo pode pedir créditos extraordinários para conseguir pagar o valor do Auxílio Brasil. Eles acreditam que isso é justificável porque, para eles, a situação do país ainda não é das melhores.

Milhões de brasileiros, aliás, estão neste momento passando fome no país. Além disso, há de se considerar também a questão do custo de vida que está aumentando no país. Há elevação nos preços da cesta básica, do botijão de gás e até da conta de luz neste momento.

Vai depender da PEC

Uma possível prorrogação do Auxílio Emergencial vai depender essencialmente do andamento da PEC dos Precatórios no Congresso Nacional. O texto deve passar por uma votação ainda nesta quarta-feira (3) na Câmara dos Deputados.

Em caso de aprovação desse texto, é provável que o Governo Federal opte por não prorrogar mais o Auxílio Emergencial. Mas se o texto travar no Congresso, a ideia é seguir com os pagamentos do benefício por mais alguns meses.

Auxílio Brasil

Em entrevista no último domingo (31), o Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a ideia do Governo Federal é seguir com o plano de ficar só com o Auxílio Brasil para cerca de 14,6 milhões de pessoas.

Só que, como dito, tudo isso depende mesmo da decisão do Congresso Nacional sobre o tema. É por isso que se imagina que a votação desta quarta-feira (3), vai acabar sendo decisiva neste sentido. É o que se espera até aqui.

4.3/5 - (59 votes)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

5 Comentários
  1. Tatiana Chaves Diz

    Para os LADRÕES que estão no PODER nada falta, pois sempre votam os aumentos dos salários deles sem pudor algum e o resto que são os aposentados, os desempregados e os que estão na miséria que se danem.
    CAMBADA DE LADRÕES VAGABUNDOS

  2. Haroldo Soares Paschoa Diz

    A situação é gravíssima de fato. Eu me encontro com processo de aposentadoria aguardando o INSS, desempregado mesmo assim, de família unipessoal, pois perdi todos os membros, realizo trabalhos free lance e recebia este auxílio emergencial. Graças a Deus não pago aluguél e não preciso usar medicamentos caros. Tenho 57 anos de idade e estou muito preocupado. Só intervenção de Jesus em nossas vidas!

  3. Andreia Diz

    Sinceramente eu me vejo em uma situação difícil, só minha mãe recebe benefício de morte do meu pai, eu não posso trabalhar fora por causa dela, c 81 anos, diagnosticada esquizofrenia, vai passar por este mês,por uma cirurgia plástica no hospital das clínicas, só eu cuido dela, somos nós duas, eu não tenho nenhuma renda, c fibromialgia e reumatismo desencadeado segundo chicungunya crônica; meu Deus, não faço ideia o q fazer, o gás aumenta toda semana, os alimentos nem se fala,minha mãe tem de se alimentar c frutas e alimentos leite desnatado e por aí vai… enfim por amor a Deus, ou prorrogam o auxílio emergencial ou mudem as regras p q pessoas como eu e minha mãe possam receber o suxilio brasil. Não é justo.

  4. Marcia Regine Schramm Diz

    Tenho 61 anos não aposentada ainda mais pago autonimo tenho Discopatia despertava não consigo mau trabalhar

  5. JezaiasSantos Diz

    Maraisakely5@gmail.com

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.