Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial com pagamentos até o final de 2022 nesta situação

De acordo com informações de bastidores, há uma chance de o Auxílio Emergencial ser prorrogado até o final do ano de 2022

O Governo Federal ainda não bateu o martelo sobre o futuro do Auxílio Emergencial no Brasil. Até aqui o que se sabe oficialmente é que o programa vai fazer pagamentos até o final deste mês de outubro e logo depois vai chegar ao fim. Só que ainda há uma ala dentro do Palácio do Planalto que pretende prorrogar o benefício.

Veja também: Vale-gás NACIONAL com valor de R$50 a cada 2 meses

E não seria qualquer prorrogação. Há quem defenda dentro do Governo Federal que o programa precisa prorrogar os pagamentos pelo menos até o final de 2022. E o motivo seria um só: as eleições presidenciais do próximo ano. Para essas pessoas, essa seria uma maneira de aumentar as chances de reeleição do Presidente Jair Bolsonaro.

É que existe uma teoria de que o Auxílio Emergencial poderia seguir até meados de abril do próximo ano. Só que há a ideia de que eleitoralmente falando isso poderia ser um erro. É que na prática, o Governo estaria esticando o programa por mais tempo e cortando ele em um momento ainda mais próximo das eleições.

Isso, na avaliação dessas pessoas, poderia deixar tudo ainda mais complicado para o Presidente Jair Bolsonaro. Eles acreditam que os eleitores iriam votar com o corte do benefício ainda mais fresco na cabeça. Por isso, surgiu a ideia de manter o programa pelo menos até o período posterior ao pleito presidencial.

Não se sabe ao certo o que o próprio Presidente Jair Bolsonaro acha sobre isso. O chefe do executivo vem evitando falar sobre esse assunto nos últimos dias. As declarações mais fortes sobre isso estão vindo do Ministro da Economia, Paulo Guedes, do Ministro da Cidadania, João Roma e do Presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Paulo Guedes

Um obstáculo para a prorrogação do Auxílio Emergencial responde pelo nome de Paulo Guedes. Em entrevista nesta terça-feira (12) ele garantiu que o programa não vai passar por um novo aumento de meses de repasses.

De acordo com ele, a única possibilidade de prorrogar o Auxílio Emergencial é caso haja um aumento no número de casos e de mortes decorrentes da Covid-19. Só que ele acredita que isso não vai acontecer por causa do avanço da vacinação.

Então no que depender do Ministério da Economia, o Auxílio Emergencial não vai passar por prorrogação, muito menos uma que dure até o fim do próximo ano de 2022. Pelo menos é o que se sabe até aqui.

Números do Auxílio

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial atende hoje algo em torno de 35 milhões de famílias. Os valores seguem os mesmos desde o início dos pagamentos. São parcelas que variam entre R$ 150 e R$ 375 a depender do público.

Esses números já foram maiores. Ainda de acordo com o Ministério da Cidadania, no início dos pagamentos ainda no ano passado, o Auxílio Emergencial chegou na casa de algo em torno de 70 milhões de pessoas. Os valores podiam chegar em R$ 1,2 mil por mês.

O Governo Federal argumenta que a queda aconteceu porque o país não está mais sob a batuta do período de calamidade pública. Então, em tese, eles precisam voltar a respeitar o teto de gastos públicos que impede pagamentos maiores em programas sociais.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.