Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio Emergencial: Bolsonaro diz que pagou 800 dólares por pessoa

Em discurso na ONU, Presidente disse que pagou 800 dólares por pessoa no Auxílio Emergencial. E isso repercutiu nas redes

O Presidente Jair Bolsonaro abriu nesta terça-feira (21), a série de discursos da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Especialmente um trecho da sua fala acabou causando muita repercussão nas redes sociais aqui no Brasil. É que ele falou que pagou 800 dólares por pessoa no Auxílio Emergencial.

Rapidamente, internautas chegaram a dizer que essa seria uma informação falsa. No entanto, não se trata de uma mentira. De acordo com dados do próprio Ministério da Cidadania, o Governo Federal pagou algo em torno de R$ 293 bilhões em Auxílio para cerca de 67 milhões de pessoas no ano passado.

Isso significa dizer que cada uma recebeu, em média, R$4,3 mil. Na cotação atual, isso daria pouco mais do que 809 dólares para cada uma. Apesar de a informação do Presidente não ser falsa, ele pode ser acusado de tentar maquiar um pouco a situação por uma série de motivos.

É que, em primeiro lugar, esses são dados do ano passado. O Presidente não considerou quanto o Governo está pagando de Auxílio Emergencial este ano. De acordo com o próprio Ministério da Cidadania, os números atuais são de fato bem mais baixos do que aqueles do ano passado. Isso mesmo considerando que os níveis da pandemia em 2021 chegaram em uma situação de piora em relação ao que se viu em 2020.

Além disso, é preciso lembrar que nem todos os 67 milhões de usuários do ano passado receberam o Auxílio Emergencial durante o ano todo. No mês de setembro, por exemplo, o Governo diminuiu drasticamente o número de usuários do programa. Hoje, ainda de acordo com o Ministério, algo em torno de 35 milhões ainda recebem o benefício.

Valor mensal

Outra grande discussão em torno desta fala de Bolsonaro é que o valor que ele usou foi o anual. De acordo com críticos do Presidente, isso pode acabar passando a impressão de que as pessoas estavam recebendo muito dinheiro nesta pandemia.

Só que quando se converte essa situação para uma análise mensal, a situação não é bem assim. Segundo dados do próprio Ministério da Cidadania, os valores do Auxílio Emergencial entre setembro e dezembro do ano passado eram de R$ 300, podendo chegar em R$ 600. Esse ano a maioria está recebendo parcelas de R$ 150.

Vale lembrar que essa discussão sobre o valor do Auxílio Emergencial é antiga. E o fato é que o próprio Presidente Jair Bolsonaro disse em mais de uma entrevista que reconhecia que o patamar de pagamentos do projeto em questão era baixo.

Auxílio vai cair em novembro

Como dito, a quantidade de pessoas que está recebendo o Auxílio Emergencial está caindo mês após mês. E isso quem diz são os dados oficiais. Este ano, os pagamentos começaram para algo em torno de 39 milhões de indivíduos. Agora de acordo com o Ministério da Cidadania, este patamar está em 35 milhões.

E a partir de novembro a tendência é que a situação vá piorar. É que o Auxílio Emergencial só deverá seguir fazendo pagamentos até outubro. E segundo especialistas, isso vai acontecer em um momento em que a economia do país ainda não voltou ao normal.

Essa não é, vale lembrar, apenas a opinião dos críticos do Governo. O próprio Ministro da Cidadania, que responde pelo Auxílio Emergencial, João Roma, disse que o Palácio do Planalto vai ter que achar uma solução para as pessoas que irão ficar sem nada a partir de novembro.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

2 Comentários
  1. Marcelo Diz

    Governo mentiroso vergonha para nós brasileiros……pronto falei……

  2. JOAO PAULO Diz

    Ouvi dizer que era em relação ao valor anual, já que nos Estados Unidos não se fala em salário mensal, mas sim em anual. Mesmo assim, acho que nem todo mundo recebeu os 4 mil, porém, minha vizinha recebeu 4,3 mil, ela não é mãe solteira e mora só.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.