Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio Emergencial: aliados aconselham Bolsonaro a aplicar nova prorrogação

De acordo com informações da imprensa, aliados de Bolsonaro estariam querendo uma nova prorrogação do Auxílio Emergencial

O Auxílio Emergencial do Governo Federal pode ganhar uma nova prorrogação. De acordo com informações da imprensa, aliados do Presidente Jair Bolsonaro estão aconselhando o chefe do Planalto a pagar mais alguns meses do programa. As informações são do portal Bloomberg. O poder executivo não quis se manifestar sobre o assunto.

De acordo com esses aliados, o Presidente não poderia apostar todas as suas fichas no Auxílio Brasil. O programa, que tem previsão de início para novembro, ainda não tem uma fonte de renda certa. Além disso, é provável que a Medida Provisória (MP) do novo Bolsa Família acabe demorando mais do que o esperado no Congresso Nacional.

O Governo Federal prorrogou oficialmente o Auxílio Emergencial por mais três meses. A ideia inicial do Palácio do Planalto era fazer os pagamentos do programa até este último mês de julho. No entanto, diante da situação da pandemia do novo coronavírus, eles acharam por melhor prorrogar o benefício por mais três meses.

Oficialmente o que se tem de concreto neste momento é que o Auxílio Emergencial vai seguir fazendo pagamentos até outubro. Faltam portanto mais duas parcelas de repasses para algo em torno de 37 milhões de brasileiros. Se o desejo dos aliados de Bolsonaro se cumprir, no entanto, o projeto poderia chegar em meados de novembro ou mesmo dezembro.

O que seguiria sem mudança é mesmo a questão do valor do benefício. Mesmo diante de tantas críticas, o Governo deve seguir firme na ideia de que não vai poder fazer pagamentos maiores do os que se vê atualmente. Hoje, de acordo com o Ministério da Economia, o Planalto paga montantes que variam entre R$ 150 e R$ 375.

Paulo Guedes

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, no entanto, não trabalha com uma nova prorrogação como sua primeira opção. Ainda de acordo com informações da imprensa, ele quer seguir com o roteiro original do Governo Federal.

Isso quer dizer portanto que ele quer manter os pagamentos do Auxílio Emergencial até o próximo mês de outubro. Então a partir de novembro o Governo Federal poderia começar de fato os repasses do novo Bolsa Família, que vai passar a se chamar Auxílio Brasil.

Vale lembrar, no entanto, que o próprio Paulo Guedes disse publicamente que uma segunda prorrogação no Auxílio Emergencial é possível. Ele argumentou que isso pode acontecer se a pandemia do novo coronavírus não der uma trégua pelos próximos meses.

Quinta parcela do Auxílio Emergencial

O que dá para saber de fato agora é que o Governo Federal está terminando de pagar a quinta parcela do benefício em questão. Nesta terça-feira (31), por exemplo, é a vez daqueles informais que nasceram em dezembro receberem o dinheiro.

Além deles, o Governo Federal também está repassando esse quinto ciclo para os usuários do Bolsa Família. Mais precisamente o dinheiro está indo para as pessoas que possuem o Número de Inscrição Social (NIS) terminando em 0.

Estes são portanto os últimos grupos do Auxílio Emergencial. Agora, a Caixa Econômica Federal se prepara para o período de liberações dos saques para os informais do programa. Essas permissões começam nesta quarta-feira (1).

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.