Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

2/5 - (3 votes)

Auxílio Brasil baterá recorde de usuários neste mês de agosto

De acordo com projeções do Ministério da Cidadania, mais de 2,2 milhões poderão entrar no Auxílio Brasil neste mês de agosto

Daqui a menos de uma semana, o Auxílio Brasil do Governo Federal baterá oficialmente mais um recorde em seus números. Considerando os dados oficiais do Ministério da Cidadania, nunca o programa social foi pago para tanta gente ao mesmo tempo. A expectativa é de que mais de 20 milhões possam receber o benefício em agosto.

Quando começou a fazer pagamentos ainda em novembro de 2021, o Auxílio Brasil do Governo Federal atendia pouco mais de 14 milhões de pessoas. O número subiu para 17 milhões em janeiro de 2022, 18 milhões em março e 18,7 milhões no último mês de julho, quando a última liberação foi oficialmente realizada pelo poder executivo.

Entre os pagamentos de julho e agosto, o Ministério da Cidadania estima que mais de 2,2 milhões de pessoas poderão entrar de uma só vez no programa. Com a nova inserção, o Governo espera bater a marca de 20 milhões de atendidos, o que seria suficiente para zerar a fila de espera para o projeto, e bater o recorde no número de beneficiários.

O aumento no número de usuários do programa Auxílio Brasil só será possível por causa da aprovação da chamada PEC dos Benefícios. O Congresso Nacional aprovou o texto ainda no último mês de julho. Entre outros pontos, o documento libera R$ 26 bilhões para uso do Governo Federal nos pagamentos do programa social.

Vale lembrar que o recorde considera apenas os recebimentos do Auxílio Brasil e do seu antecessor, o Bolsa Família. Quando se considera os pagamentos de outros programas sociais, os números ainda estão longe de serem batidos. O Auxílio Emergencial, por exemplo, chegou na casa de quase 70 milhões de brasileiros no ano de 2020.

Até quando vai o Auxílio de R$ 600

Nas últimas semanas, parlamentares de oposição criticaram o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) por decidir manter o aumento do valor do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600 apenas até o final deste ano de 2022.

Hoje, a PEC dos Benefícios indica que os usuários só receberão o patamar turbinado até o próximo mês de dezembro, ou seja, apenas até pouco depois das eleições presidenciais deste ano. Nesse sentido, os parlamentares acusam o Planalto de compra de votos.

Por sua vez, o Governo Federal nega a acusação e afirma que o aumento no valor do Auxílio Brasil para R$ 600 objetiva amenizar o sofrimento dos mais humildes. O Planalto cita uma piora da situação por causa da guerra da Ucrânia e do aumento nos preços dos combustíveis.

Paulo Guedes

Em declaração nesta semana, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre a questão da manutenção do valor de R$ 600 para o próximo ano. Ele disse que o Governo pode manter o saldo, desde que o Congresso aprove a Reforma Tributária.

Antes desta declaração, o presidente Jair Bolsonaro (PL) já tinha dito que pretende manter o valor de R$ 600 do Auxílio Brasil. O chefe do executivo até disse que já conversou com o Ministro da Economia, Paulo Guedes sobre o assunto.

Recentemente, o presidente recuou e disse que os pagamentos de R$ 600 do Auxílio Brasil em 2023 ainda não estão garantidos. Ele lembrou ainda que qualquer saída neste sentido ainda dependeria de aprovação do Congresso Nacional.

2/5 - (3 votes)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.