Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Atualidades: pecuária é uma das principais causadoras da poluição do ar 

A maioria das pessoas quando pensa em poluição do ar, imagina nuvens de fumaça, incêndios florestais de grandes proporções, etc. 

No entanto, existem diversas maneiras menos perceptíveis de poluição do ar que merecem atenção. Uma delas é a pecuária. 

A pecuária tem como objetivo a criação de animais para consumo humano, sendo uma atividade com potencial emissão de metano, um gás do efeito estufa trinta vezes mais poluente que o dióxido de carbono. 

De acordo com o “Breakthrough Institute” em Oakland, na Califórnia, a pecuária é responsável por cerca da metade da poluição do ar dos Estados Unidos.

O principal poluente do setor agrícola é a amônia gerada por gado e fertilizantes (que vem de dejetos animais).

A amônia reage com poluentes de veículos, usinas de energia e outras fontes para formar partículas finas, afetando não apenas as fazendas rurais, mas também soprando em cidades populosas mais distantes.

O esterco da pecuária gera a maior parte da amônia da agricultura, bem como uma variedade de outros poluentes prejudiciais – é por isso que a carne, os laticínios e outras produções de gado juntos constituem uma das cinco principais fontes de mortes por poluição do ar, com um impacto maior do que o escapamento dos automóveis. 

Um relatório de 2019, emitido pelo Conselho de Defesa de Recursos Naturais coloca os valores em perspectiva, explicando que “uma instalação média de frangos de corte criando 90.000 aves por vez pode liberar mais de 15 toneladas de amônia por ano, causando problemas respiratórios e doenças pulmonares crônicas, bem como queimaduras químicas no trato respiratório, pele e olhos dos residentes próximos. 

Não é apenas a amônia que é um problema; outros gases nocivos, como o sulfeto de hidrogênio, foram associados a problemas neurológicos, incluindo instabilidade de humor, depressão e outras doenças, bem como níveis elevados de asma em crianças que moram nas proximidades. 

Possíveis soluções

A maneira como os fazendeiros criam animais e cuidam da terra pode afetar a qualidade do ar. O uso de fossas cobertas profundas em vez de lagoas anaeróbicas para armazenar a lama de esterco pode evitar que grande parte dela seja expelida. 

Ajustar as fórmulas dos alimentos, usar a quantidade mínima de fertilizante necessária no campo e empregar mais safras rotativas podem contribuir para melhorar a qualidade do ar.

A redução no consumo de carne também pode ajudar a melhorar a qualidade do ar. 

Quando compramos carne no supermercado, estamos impulsionando a demanda pela produção de carne industrializada, que está por trás de grande parte dessa poluição do ar. 

Ao reduzir o consumo de carne, menos animais precisam ser criados, o que significa menos esterco e diretamente menos gases poluentes.

E então, gostou da matéria? Não deixe de ler também – Atualidades: Importância da agropecuária e dados do Brasil

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.