Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

A Revolta da Chibata: resumo sobre a importante revolta da Marinha!

A Revolta da Chibata: os principais tópicos que envolvem esse assunto!

A Revolta da Chibata foi uma importante revolta envolvendo membros da Marinha brasileira e que ocorreu durante o período conhecido como República Velha.

O evento é de suma importância para a história das revoltas brasileiras. Devido a isso, A Revolta da Chibata é muito abordada por questões de história do Brasil de vestibulares, da prova do ENEM e também de provas de concursos públicos, principalmente aqueles militares.

Assim, para te ajudar, o artigo de hoje trouxe um resumo com aquilo que você precisa saber sobre a revolta.

A Revolta da Chibata: Introdução

A Marinha brasileira, em 1910, durante a República Velha, era composta principalmente por negros que tinham conquistado a liberdade a pouco tempo. Os outros membros eram indivíduos humildes e com poucos recursos. Para os dois grupos, porém, a rotina de trabalho que deveria ser enfrentada era exaustiva e os salários recebidos eram baixos e incompatíveis com o custo de vida da época. Além disso, os oficiais recebiam constantes aumentos, ao contrario do que acontecia com os marinheiros de patentes baixas.

Além disso, a rígida disciplina dos marinheiros era mantida pela execução de castigos físicos, incluindo a “chibatada”. Os castigos eram aplicados com frequência e, muitas vezes, sem motivos específicos, o que gerava grandes insatisfações.

A Revolta da Chibata: Antecedentes

A Revolta da Chibata foi uma manifestação militar realizada pelos membros de baixa patente da Marinha brasileira. Ela ocorreu no Rio de Janeiro de 22 a 27 de novembro do ano de 1910.

No dia 22 de novembro, o marinheiro Marcelino Rodrigues Menezes desmaia após receber 250 chibatadas como castigo. A insatisfação com a situação foi imediata e se juntou aos baixos salários e péssimas condições.

Assim, o marinheiro João Cândido Felisberto, que ficou conhecido como Almirante Negro, lidera a revolta. A luta recebeu o apoio de alguns navios, como o “Bahia”, o “Deodoro” e o “São Paulo”.

A Revolta da Chibata: Objetivos

Os revoltosos pediam o fim imediato dos castigos, a anistia aos envolvidos e melhores condições de trabalho e de alimentação.

As péssimas condições de trabalho dos marujos não foi a única motivação para a revolta. No Brasil como um todo, as famílias mais pobres, de onde vinham os marinheiros, sofriam com a pobreza e a desigualdade social. Sendo assim, os historiadores consideram a revolta da Chibata também uma revolta contra as desigualdades sociais e raciais.

A Revolta da Chibata: Desfecho

Hermes da Fonseca era o presidente no ano da Revolta. No dia 26 de novembro, da Fonseca encerra o conflito: 37 revoltosos são presos e mais de dois mil marinheiros, incluindo o líder Felisberto, são expulsos da Marinha.

 

 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
2 Comentários
  1. Eduardo Diz

    Gostei bastante. Muito bom os resumos. Giovanna, Possui outros que possa encaminhar por email? Obrigado

    1. Giovanna Mauro Diz

      Obrigada! Você pode encontrar muitos resumos aqui no site. Todos que eu escrevo são publicados aqui na categoria “Dicas”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.