Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

A Magna Carta de 1215: criação do Parlamento Inglês

Um resumo sobre a Magna Carta de 1215

A Magna Carta foi um documento assinado pelo rei inglês João Sem-Terra no ano de 1215. A Carta foi responsável pela criação do Parlamento Inglês, que existe até os dias de hoje.

Dessa maneira, não é de se surpreender que a Magna Carta apareça constantemente em questões dos mais variados vestibulares brasileiros.

Assim, é fundamental que você domine os principais tópicos do assunto para garantir um bom desempenho em suas provas.

A Magna Carta: Introdução

A Magna Carta, assinada no ano de 1215, foi um documento que impôs limites ao poder da monarquia na Inglaterra. O principal objetivo da Carta era impedir que o monarca concentrasse todo o poder em suas mãos, se tornando um autoritário.

A Carta é considerada um dos documentos mais importantes da democracia.

A Magna Carta: Características

A Magna Carta foi assinada pelo Rei João, também chamado de João Sem-Terra, no ano de 1215.

A assinatura do documento foi a solução encontrada para os conflitos advindos de desentendimentos entre o rei, o Papa e barões ingleses. Os embates aconteciam, principalmente, por causa dos tantos privilégios concedidos aos reis da Inglaterra. 

No ano de 1215, os barões, ou seja, a nobreza inglesa, realizou uma rebelião contra o rei João.

Os barões estavam esgotados dos altos impostos cobrados pela monarquia. Além disso, os nobres desejavam possuir mais poder de decisão dentro do país, o que não acontecida devido à concentração de poder nas mãos do rei.

Assim, sob o comando do Barão Robert Fitzwalter, os nobres tomam a cidade de Londres, classificando o seu “exército” como o “exército de Deus”. Para impedir uma guerra civil e colocar fim aos conflitos, o rei João Sem-Terra resolve negociar com os participantes.

A Magna Carta: O documento

Os nobres concordam, então, que um documento deveria ser assinado para diminuir os poderes do rei.

João, ao assinar o documento, concorda com a diminuição do seu poder enquanto rei. Os participantes da revolta, por sua vez, concordaram em se render e se retirar de Londres.

A Magna Carta continha 63 cláusulas. Entre as principais, podemos citar:

  • A proteção dos dos direitos da igreja
  • Os barões teriam direito em vetar impostos excessivos
  • A proteção contra prisões ilegais e sem justificativas
  • A criação de um conselho de 25 nobres (o Parlamento) que ficaria responsável por tomar decisões governamentais ao lado do rei. Dessa maneira, o rei teria o seu poder limitado, uma vez que não poderia tomar decisões sozinho.

A Magna Carta: Consequências

A última cláusula, sem dúvidas, é a principal. Isso porque, é a partir dela que, na Inglaterra, ficaria conhecido o ditado “o rei reina, mas não governo”. Com a criação do conselho de nobres, o Parlamento, o rei assumiria funções representativas, mas não poderia decidir sozinho sobre qualquer assunto.

Os preceitos da Magna Carta também influenciaram as constituições de muitos outros países.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.