Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

A Inquisição: um resumo para suas provas!

A Inquisição: tudo aquilo que você precisa saber!

A Inquisição foi um órgão criado pela Igreja Católica na Baixa Idade Média para perseguir os chamados hereges.

A instituição recebe grande atenção das provas e das questões de história, principalmente devido ao uso de instrumentos de tortura e ao saldo total de mortos, que foi de 100 mil pessoas.

O que foi a Inquisição?

Entre os séculos XII e XVIII ocorreu um movimento político-religioso no continente europeu e americano denominado de Inquisição. A Inquisição foi criada no século XIII e também pode ser chamada de Santo Ofício. De maneira geral, a Igreja Católica buscava converter os chamados “hereges”, ou seja, aqueles que pregavam ou acreditavam em teorias contrárias aos dogmas estabelecidos pelo cristianismo. Nesse contexto, oficiais a serviço da igreja percorriam cidades e comunidades para encontrar e condenar os hereges. A Igreja Católica considerava os hereges como pecadores, uma vez que esses não professavam a fé que estava na doutrina.

Ainda, é válido ressalta que, apesar de seu viés religioso, a Inquisição foi utilizada também como ferramenta política de controle, uma vez que alguns soberanos, aliados da instituição, adotavam a prática para eliminar seus inimigos.

A Inquisição: Características

O Tribunal do Santo Ofício, instituído pelo Papa Gregório IX, em 1233,  era uma das tantas instituições eclesiásticas que foram utilizadas pela Inquisição. Na época de sua criação, o Tribunal deveria ter como objetivo investigar as heresias dos cátaros. Porém, mesmo após o controle dessa heresia, os tribunais continuaram a ser utilizados pela Inquisição, e eram responsáveis por julgar casos de heresia, muitas vezes de maneira aleatória. Os principais perseguidos eram judeus, mouros, feiticeiras, filósofos, cientistas e místicos.

O julgamento dos hereges consistia no depoimento dos acusados de heresia, bruxaria ou por práticas religiosas judaicas e muçulmanas para juristas ou teólogos, que trabalhavam a serviço da Igreja. Caso fossem declarados culpados, a pena poderia ser prisão, vestes para revelar a condição de condenado (com o desenho de uma cruz) ou morte na fogueira. A pena seria aplicada pelo poder civil local. Além disso, para obter confissões, a Inquisição fazia uso de torturas dos mais variados tipos.

Em 1559, foi criada uma lista de livros proibidos, o Index Prohibitorum pela Inquisição e os autores ou leitores das obras referidas foram perseguidos pelos inquisidores. Quem fosse encontrado lendo qualquer dessas obras também seria condenado.

A Inquisição: Atuação no mundo

Na Espanha, a Inquisição foi usada pelos Reis Fernando de Aragão e Isabel de Castela para perseguir seus inimigos e converter judeus e mouros ao cristianismo. Esses grupos deveriam renegar seus costumes e sua religião para se converter ao catolicismo e, assim, obter a permissão para continuar a viver no país.

No Brasil, a Inquisição esteve presente em três ou quatro momentos específicos, mas um tribunal para julgamentos não foi criado no país. As práticas religiosas indígenas, porém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.