Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

A Guerra dos Cem Anos: entenda de uma vez esse conflito!

A Guerra dos Cem Anos: pode cair na sua prova

A Guerra dos Cem Anos é um conflito de extrema importância para a história mundial. Assim, ele pode ser cobrado em provas nacionais.

Os vestibulares costumam abordar com grande frequência o assunto, principalmente em perguntas de segunda fase.

Assim, o artigo de hoje trouxe um resumo sobre tudo o que você precisa saber sobre a Guerra dos Cem Anos.

A Guerra dos Cem Anos: definição

A Guerra dos Cem Anos foi uma longa guerra que durou, na verdade, 116 anos. Inglaterra e França eram as duas principais potências envolvidas no longo conflito.

Mas o que motivou essa longuíssima guerra?

Os motivos derivavam de razões políticas e econômicas. Vamos ver com mais detalhes a seguir.

A Guerra dos Cem Anos: as principais causas do conflito

A principal causa dentro da política que motivou a Guerra dos Cem Anos foi a disputa pelo trono francês.

Em 1328, o rei francês Carlos IV faleceu e colocou fim à dinastia dos Capetíngios. Porém, ele morreu sem deixar herdeiros, o que deixava o seu trono sem ninguém.

Ao mesmo tempo, o rei da Inglaterra, Eduardo III, era neto de Filipe, o Belo, rei francês do século XIV, e reivindicava o direito à coroa francesa.

Eduardo tinha como meta unificar as coroas inglesa e francesa sob seu poder, o que nos leva também a compreender o motivo econômico que originou a disputa.

Caso unisse sob seu poder as duas coroas, a Inglaterra aumentaria ainda mais seus domínios e colocaria um conjunto de prósperas cidades comerciais sob o seu domínio político, principalmente da região de Flandres (Holanda e Bélgica atuais).

Flandres era uma região muito disputada por todas as coroas europeias. Além de ser um rico centro comercial, o local possuía uma importante indústria de tecidos de lã, cuja matéria prima era importada da Inglaterra.

Como a exploração de lã para Flandres era uma importante fonte de riqueza para nobres ingleses. Dessa maneira, eles resolveram enfrentar os franceses em relação à região e apoiar Eduardo em seu plano.

A Guerra dos Cem Anos: batalhas

Os ingleses venceram as primeiras batalhas e conseguiram o controle de alguns territórios do Norte da França. Porém, pouco tempo depois, uma explosão de casos de Peste Negra obrigou os dois países a colocarem uma pausa nas batalhas.

Os conflitos diretos foram retomados somente no ano de 1356, quando a Inglaterra conquistou novas regiões.

A França era muito prejudicada na guerra. A ruína causada pela guerra atacaou profundamente a economia francesa. Porém, os principais afetados foram os mais pobres, ou seja, os camponeses. A falta de recursos, os pesados tributos e as fracas colheitas motivaram as chamadas jacqueries. As revoltas foram duramente massacradas pelas forças oficiais do poder.

Mas mesmo com os episódios de violência contra a nobreza, os exércitos da França reorganizaram suas forças militares. O rei Carlos V foi crucial para que o seu país pudesse reaver alguns territórios perdidos para os ingleses e avançar na guerra.

A Guerra dos Cem Anos: desfecho

A mobilização popular por mais direitos e igualdade foi crucial para o aparecimento de uma figura importante: Joana D’Arc, que mobilizou tropas e elaborou estratégias.

Porém, os nobre franceses, com medo de uma forte liderança popular, planejam a morte de Joana.

No ano de 1430, Joana D’Arc foi morta na fogueira sob a acusação de bruxaria. Mesmo assim, os franceses conseguiram expulsar os ingleses do norte do país. Em 1453, um tratado de paz foi assinado, colocando fim à Guerra dos Cem Anos.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.