Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Valor médio do botijão de gás já chega a 58% do Auxílio Emergencial

De acordo com agências oficiais, o valor médio do botijão de gás já compromete quase 60% da renda de quem recebe Auxílio Emergencial

Quem está tentando viver com apenas um Auxílio Emergencial por mês certamente está encontrando dificuldades. É que de acordo com as informações oficiais, só um botijão de gás está custando 58% do valor mais baixo do programa, que é o de R$ 150. Para esses brasileiros, a situação não está fácil.

No começo desta semana, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) afirmou que a média nacional do valor do gás está neste momento em R$ 88,94. Vale lembrar que o valor mais baixo do Auxílio Emergencial no Brasil hoje está na casa dos R$ 150. Então temos aí uma fatia grande de gasto.

Dessa forma, quem está vivendo apenas com R$ 150 por mês, tem que gastar cerca de 60% dessa renda só com a compra de um botijão de gás. Isso quer dizer portanto que os outros 40% ficam para os pagamentos de boletos, as compras de comidas e de produtos de higiene e limpeza. Tudo por um mês inteiro.

E isso considerando apenas esse valor médio do botijão. Em algumas regiões, o utensílio está custando muito mais do que isso. Em São Paulo, por exemplo, há relatos de que o utensílio está passando da marca dos R$ 300 com certa facilidade. Pelo menos é isso o que vários usuários estão relatando nas redes sociais.

O valor do botijão compromete atualmente cerca de 10% da renda de quem vive apenas com um salário mínimo no Brasil, hoje. Trata-se portanto de um recorde para esse público. Vale lembrar que esse salário é de R$ 1100 no Brasil hoje. Não há uma previsão concreta para que esse utensílio volte a baixar de preço.

Auxílio

De acordo com as informações do Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial está pagando neste momento valores que variam entre R$ 150 e R$ 375. Isso vai acabar variando de pessoas para pessoa, seguindo os critérios do benefícios.

Segundo os dados do próprio Ministério, a grande maioria dos informais que estão recebendo o benefício, estão ficando com esse valor menor, que é este de R$ 150. Então eles estão tendo que gastar em média 58% da renda mensal para comprar o botijão.

Quem está recebendo o Auxílio de R$ 250, precisa desembolsar cerca de 35% de sua renda total para comprar o botijão. A situação de quem está pegando o benefício de R$ 375, é um pouco menos pior. O gás compromete 23% da renda deles.

Vale-gás

Diante desta situação, alguns governos estaduais estão analisando a possibilidade de criar um vale-gás para ajudar a população neste sentido. A ideia é dar uma bolsa em dinheiro para fazer com que essas famílias comprem o utensílio.

O Governo do estado de São Paulo, aliás, começou um programa seu. Por lá, eles irão pagar três parcelas bimestrais no valor de R$ 100. Então a ideia é entregar esse dinheiro para essas famílias sempre em um intervalo de dois meses até o final deste ano.

Em São Paulo, não há qualquer tipo de inscrição. Eles é que irão escolher quem recebe e quem não recebe a partir de dados do Cadúnico. Outros estados, como o Rio de Janeiro, estão analisando a possibilidade de seguir o exemplo dos paulistas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.