Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Saiba se o aumento do Bolsa Família pode causar inflação; especialista explica

O aumento do Bolsa Família é esperado por muitos brasileiros, principalmente os mais pobres. Mas o benefício pode também recair sobre a inflação, já que a demanda irá ser maior. Apesar disso, especialista na área explica que este não é o principal problema no possível aumento do benefício de R$ 190 para aproximados R$ 300.

O Diretor-Presidente da Instituição Fiscal Independente, Felipe Salto, afirmou que o que vem acontecendo no Brasil, na realidade, é o encarecimento do custo de vida e esse é o maior impacto.

“Quando você olha o IPCA, você vê que a alimentação, fora e dentro do domicílio, carne, arroz, feijão, coisas básicas são os que mais tem aumentado. O auxílio ajuda a amenizar esse fator, mas não resolve, O botijão de gás, por exemplo, está custando quase R$ 100, dependendo da região”, disse ele em live do Brasil Econômico nesta quinta-feira (5).

Neste cenário ele ainda deixa claro que realmente o aumento do Bolsa Família vai ter efeito no consumo, porém o que preocupa é a taxa de câmbio.

“O preço do dólar aumentou muito do fim do ano passado para cá. Isso deve a instabilidade política e às incertezas externas também. Nossas importações são afetadas e acabam resvalando nos serviços e no consumo”, explicou.

Felipe Salto ainda comentou que para lidar com o aumento de preços, devido a demanda maior, são necessárias medidas a longo prazo e que combatam a desigualdade.

“Isso não se faz com medidas aqui e acolá, impensadas, é necessário observar estudos, como o do CDPP (Centro de Debates de Políticas Públicas) que propõe a unificação de programas menos efetivos, como o abono salarial, por exemplo”, argumentou.

Aumento do Bolsa Família

O  presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem anunciando em entrevistas que pretende aumentar o Bolsa Família em pelo 50% e, com isso,  pagar no mínimo R$ 300 por família.

A ideia também é trocar o nome do programa para Auxílio Brasil, numa tentativa de “tirar a marca Lula”, já que o benefício social foi criado na gestão do ex-presidente.

O lançamento do “Auxílio Brasil” deve acontecer ainda este ano, pelo menos se for levado em consideração as promessas do ministro da Economia, Paulo Guedes. Também é pretendido aumentar o número de beneficiários.

O que deve ser feito na prática, só poderá ser definido quando de fato o projeto por apresentado e negociado com o Congresso.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.