Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Saiba como furar a fila do INSS

Se você fez uma solicitação de benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e ainda não teve resposta, saiba que não é o único que aguarda na fila do INSS. No mês de dezembro de 2020, por exemplo, havia cerca de 1,7 milhão de requerimentos de benefícios previdenciários aguardando análise.

Destes, no total havia:

  • 1,2 milhão de pessoas aguardavam a primeira avaliação
  • 477 mil já haviam passado pela análise do instituto e precisavam apresentar documentos

Mesmo com prazo de 45 para análise estabelecido em lei, o tempo para a liberação de benefícios em dezembro foi de 66 dias, em média. O INSS até chegou a cumprir o prazo entre junho e setembro, mas a partir de outubro o prazo foi extrapolado.

O atraso para análise do benefício é ainda maior em alguns estados. No Acre, em novembro,  por exemplo, o tempo de espera era de 97 dias, mais que o dobro do estabelecido em lei.

Leia também: Abono do PIS 2021: 3 milhões já podem sacar

Como furar a fila do INSS?

Cansado de esperar um benefício que nunca chega? Saiba que você pode “furar a fila” e fazer que o INSS analise seu requerimento mais rapidamente. Para isso, é necessário esperar ao menos os 45 dias, prazo estabelecido em lei para resposta do órgão.

Após isso a solução para furar a fila do INSS é entrar com um mandado de segurança. 

O mandado de segurança é uma ferramenta que pode ser utilizada para pressionar que órgãos públicos analisem o seu pedido de benefícios.

Para fazer a solicitação e entrar com um mandado de segurança no caso do INSS, é necessário contratar um advogado. Uma maneira de escolher um bom advogado é procurar por aqueles que sejam especialistas na área.

Por exemplo, uma advogado previdenciário é essencial para pedidos de aposentadoria por exemplo.

Um mandado de segurança não poderá ser feito sem o advogado.

Se você não tem condições de pagar um advogado, clique aqui e saiba se você tem direito a um gratuito.

O que diz o INSS?

O INSS deve ampliar o número de servidores na análise de requerimentos de 30% para 40% do total de servidores a partir de janeiro. “Isso diminuirá sensivelmente o tempo de concessão, o que acarretará na diminuição de pagamento de correção, uma vez que os benefícios serão concedidos dentro do prazo previsto”, informou o instituto, ao G1.

O INSS também afirmou que acompanha o trabalho remoto e realiza gestão do número de análises feitas por cada funcionário. “Esses servidores trabalham com meta mensal maior do que os demais, portanto, apresentam maior produtividade na análise de requerimentos, o que acarretará em notória queda do estoque de pedidos”,

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
3 Comentários
  1. Ricardo Diz

    Mandato de segurança ? Aí fica impossível!

  2. Nelci Gloria Cerqueira costa Diz

    Como gostaria de pasa logo pela está fila já não aguentou mas espera o Pinho se eu não pasa na pericia já tenho um propósito de mim mata pois não posou trabalho pois dou crizi faso tratamento piciquiatro e tomou remédio forti um filho mortor moro sozia só penco em mata pra mim livra deste sofrimento vivi de ajuda de igrejas muita vergonha eu tenho prefiro morre do vivi

  3. Nelci Gloria Cerqueira costa Diz

    Boa noite eu estor quazet 2 anos na fila do inss esprando benificio prestação continuando louas milha pericia foi a ter marcando. Mas mão foi cacelanda mitivol. Miss fejando a gora Elis so fala pra eu aguarda vaga mão poso trabalho faço. Tratamento psiquiatria. Tornou remetido controlando porque escultor v vozes na menti e emtro em crizi e quebrou quaze tudo tenho votande até de mim Mata cada dia j moro soziha meu filho. Morreu. De câncer não tenho prazer de viver. Vivu de ajudar de igrejas. Mim da vergoha entau eu já dicidi se o Inês não fez over vou tomar todos controlando dives ecaba com este sofrimento. É solução. 😵📷😱

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.