Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

República da Espada: Resumão sobre o período

Um dos períodos da República Velha que mais caem no Enem e em diversos vestibulares é a República da Espada que aconteceu entre 1889 e 1894. 

Nessa parte da história o Brasil teve o comando de dois militares: Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. 

Por se tratar de um período importantíssimo para a construção de nosso país, não pode ficar de fora de seus estudos. 

A seguir você confere um resumão sobre como se constituiu a República da Espada, acompanhe!

República da Espada: Governo Provisório 

Logo após o Golpe Republicano de 1889, um Governo Provisório instituiu-se no Rio de Janeiro, comandado pelo marechal Deodoro da Fonseca. 

Dessa forma, o exército chegava ao poder do Brasil, tomando algumas medidas, tais quais: 

  • Desfez as Assembleias Provinciais, as Câmaras Municipais e a Câmara dos Deputados. 
  • Trocou o nome das províncias para estados 
  • Nomeou procuradores militares para governar os estados 
  • Criou a bandeira com o lema “Ordem e Progresso” 
  • Transformou o Brasil em um Estado laico 
  • Regulamentou o casamento civil 

No entanto, essas medidas aconteceram durante o Governo Provisório, que durou até a promulgação da Constituição de 1891, quando o marechal Deodoro da Fonseca elegeu-se dando continuidade a República da Espada. 

Constituição de 1891

Inspirada na Constituição americana, no dia 24 de fevereiro de 1891 foi promulgada a segunda Constituição do Brasil. 

E através dela garantia-se os seguintes direitos:

  • Igualdade perante a lei 
  • Sigilo de Correspondência 
  • Liberdade para exercer qualquer profissão
  • Liberdade religiosa
  • Entre outros

Em síntese, buscava atender um regime republicano presidencialista como forma de governo. 

Governo Deodoro da Fonseca (1891)

No dia seguinte a promulgação da Constituição, o marechal Deodoro da Fonseca foi eleito presidente e Floriano Peixoto o vice, dando início a República da Espada. 

Todavia, a eleição no Congresso foi tomada por tensões, tendo em vista que os militares que apoiavam Deodoro da Fonseca, não aceitariam em hipótese nenhuma uma derrota para Prudente de Morais. 

Dessa maneira, Deodoro foi eleito e comandou o Brasil por menos de um ano, em um período conturbado da política brasileira entre o governo, senadores e grande parte dos deputados. 

Por causa de divergências com o Legislativo e uma ameaça de impeachment no ar, em novembro de 1891, Deodoro resolve instaurar o estado de sítio, a censura aos meios de comunicação, além de ordenar a prisão de opositores. 

O Brasil foi tomado por uma enorme tensão, houve uma aliança entre militares e civis para derrubar o governo de Deodoro. Receoso que uma guerra civil acontecesse, ele renuncia e entrega seu cargo ao vice Floriano Peixoto.

chega ao fim o primeiro período da República da Espada, marcado por diversas tensões, que transforam-se em revoltas no governo de Floriano Peixoto. 

Governo Floriano Peixoto (1891 – 1894)

Assim que assumiu a presidência, o marechal Floriano Peixoto, suspendeu o fechamento do Congresso, o estado de sítio e depôs os governadores que apoiaram o golpe de Deodoro da Fonseca. 

Por esses motivos, o governo de Floriano enfrentou diversas crises, no entanto teve o apoio importante dos cafeicultores, da classe média e de parte dos militares. 

A saber, o mesmo teve de lidar com diversos protestos, que o acusavam de ser um governo ilegítimo, pois a Constituição afirmava que um presidente deveria completar dois anos no cargo, caso contrário novas eleições seriam realizadas. 

Dentre algumas medidas pelo governo de Floriano, destaca-se a diminuição dos preços dos aluguéis das casas dos operários, assim como do setor alimentício. Ademais, aprovou também a lei que determinava a construção de moradias populares.  

Seu governo teve de enfrentar diversas revoltas, uma delas na atual cidade de Florianópolis quando o presidente ordenou que fosse sufocada com rigor. Por conta disso ganhou o apelido de “Marechal de Ferro”. 

Após o fim do governo de Floriano Peixoto, chegava ao fim a “República da Espada” e iniciava-se uma nova fase a “República das Oligarquias” onde fazendeiros paulistas e mineiros controlavam o poder político e econômico do país. 

E então, gostou de conhecer mais sobre a República da Espada?

Não deixe de ler também – História: Três conflitos brasileiros cobrados em vestibular e ENEM

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.