R$ 300 a mais para COMPLEMENTAR o Bolsa Família: quem TEM DIREITO?

O objetivo é complementar a renda proporcionada pelo Bolsa Família

A partir de maio, o orçamento mensal de 100 mil mulheres beneficiárias do Bolsa Família que residem no estado de Pernambuco será aumentado em R$ 300.  O programa Mães de Pernambuco, oficialmente lançado pelo Executivo do Recife, será responsável pela concessão desse auxílio prestado pelo governo estadual.

O objetivo é complementar a renda proporcionada pelo programa Bolsa Família do Governo Federal. Assim, é garantindo a essas mulheres uma renda mínima que as afaste da pobreza extrema.

A quem é concedido o direito?

Para serem descendentes para o benefício, as mulheres devem atender aos critérios abaixo:

  • Ter um dependente que está durante na primeira infância;
  • Estar grávida e receber o apoio do programa BVG – Benefício Variável à Gestante;
  • Ser provedor(a) de família monoparental ou ser uma pessoa com deficiência (PCD) e ter dependentes/filhos declarados como pessoas com deficiência;
  • Ter idade igual ou superior a 65 (sessenta e cinco) anos;
  • Proclamar-se parda, negra, indígena, quilombola, cigana;
  • Fazer parte da comunidade do terreiro;
  • Realizar operações extrativistas;
  • Exercer uma atividade de pesca artesanal;
  • Incorporação da comunidade ribeirinha;
  • Ser uma selecionadora de materiais recicláveis;
  • Ser contemplada com a reforma agrária;
  • Acampar em ambientes rurais.
  • Desempenhar atividades na agricultura familiar;
  • Ser contemplado pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário;
  • Admitir ser analfabeta;
  • Residir em domicílios urbanos sem abastecimento de água canalizada em pelo menos um dos quartos;
  • Viver em uma residência cujas paredes são construídas ou compostas de materiais inadequados, como taipa, palha, madeira reciclada ou outro material semelhante;
  • Residir em residência ou propriedade desprovida de instalações sanitárias;
  • Viver em habitações improvisadas, que são espaços precariamente adaptados pelas famílias como moradia. Esses domicílios podem estar localizados em áreas privadas, tais como edifícios ou casas abandonadas, construções e acampamentos situados nas zonas rurais, assim como também é possível encontrá-los instalados provisoriamente em locais públicos com barracas e barracas;
  • Viver em residências coletivas, onde as famílias ou indivíduos moram e respeitam as normas administrativas, pode incluir abrigos, pensões e alojamentos;
  • Apresentar-se como indivíduo em situação de rua;
  • Incluir a presença de familiares no sistema prisional;
  • Criar crianças em condições de trabalho infantil;
  • Mulheres com ensino fundamental incompleto ou grau escolar inferior;
  • Dados cadastrais mais antigos no CadÚnico.

É importante ressaltar que o programa não é destinado exclusivamente às mães biológicas, mas também aos cuidadores como tias, avós, madrinhas e outros.

R$ 300 a mais para COMPLEMENTAR o Bolsa Família: quem TEM DIREITO?
O objetivo é complementar a renda proporcionada pelo Bolsa Família – Imagem: Shutterstock

Confirmação

As mães que tiverem interesse em participar deverão confirmar sua participação através do portal oficial Mães de Pernambuco até o dia 25 de abril, fornecendo informações como data de nascimento e Número de Identificação Social (NIS).  Segundo o secretário de Assistência Social, Fome e Drogas de Pernambuco, Carlos Braga, o processo de seleção dos beneficiários já foi feito com base nos dados do CadÚnico.

A fim de se tornarem aptos a participar do programa Mães de Pernambuco, as mães ou responsáveis ??que estão aguardando a aprovação do Bolsa Família precisam esperar pela liberação deste benefício. Caso tenha dificuldades para acessar o site do programa, é possível obter informações e orientações visitando o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo.

Pagamentos do Mães de Pernambuco

De acordo com o governo do estado, os pagamentos terão início no dia 13 de maio, após o Dia das Mães, e serão feitos especificamente no quinto dia útil de cada mês a partir de junho. O benefício será mantido enquanto a mãe tiver filhos menores de 6 anos, conforme orientação governamental.

Outras informações

Caso as mães necessitem de mais esclarecimentos ou tenham dificuldades, podem contatar a Provedora Social. Para entrar em contato, é possível ligar gratuitamente para o número 0800-081-4421, enviar mensagem pelo WhatsApp no ??telefone (81) 98494-1298 ou encaminhar um e-mail para ouvidoria@sas.gov.pe.br.

A Ouvidoria Social está à disposição para prestar apoio e orientação às mães participantes do programa, garantindo um canal de comunicação para esclarecimento de dúvidas ou questões relacionadas ao benefício oferecido.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.