Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Pesquisa do PicPay diz que PIX gerou economia de R$ 2,3 bilhões em tarifas

O PIX é o sistema de transferências instantâneas desenvolvido pelo Banco Central e que foi lançado em novembro. E desde quando a ferramenta entrou em vigor, muitas pessoas deixaram de usar serviços bancários considerados tradicionais, como o TED e o DOC. Isso por conta da possibilidade de envio de dinheiro em tempo real e de forma gratuita.

Outro motivo para a mudança na forma de realizar transações é que muitos lojistas e empreendedores também passaram a utilizar o PIX nas vendas. Isso porque os mesmos deixaram de usar as “maquininhas de cartão”, que cobravam taxas nas transações. Segundo uma pesquisa do aplicativo PicPay, essas trocas fizeram com que seus usuários economizassem mais de R$ 2,3 bilhões em tarifas.

Nesse sentido, o levantamento da fintech mostrou que seus clientes economizaram, em média, R$ 130 no período de um ano desde que o PIX entrou em vigor. Além disso, a pesquisa também mostrou que esses usuários deixaram de pegar mais de 12 horas de fila para realização dos pagamentos nesse período.

Para realização da pesquisa, foi levado em consideração o número de PIX enviados através do PicPay atrelados à média de tarifas nas transações TED do mercado e com o tempo médio de fila informados pelo Banco Central. Sendo assim, a pesquisa mostra o quanto o sistema de pagamentos instantâneos está popular entre os brasileiros.

Picos das transações pela ferramenta

Segundo o estudo realizado pelo PicPay, nos últimos 12 meses, os usuários do aplicativo utilizaram o PIX em maior volume entre 11h e 12h. Dessa forma, os picos aconteceram entre 11h e 12h, horário em que normalmente, antes do PIX, as pessoas usariam a pausa do almoço para ir ao banco realizar transações, e das 18h às 19h.

Ainda segundo a empresa responsável pela pesquisa, o PIX ultrapassa as transferências do tipo TED e DOC em volume e quantidade de transações mensais. Além disso, a ferramenta é utilizada por pessoas de todas as faixas etárias, sobretudo entre usuários mais jovens, com destaque para o público de até 30 anos.

Segundo a fintech, do lançamento do produto para cá, o ticket médio das transações foi de R$270 para R$165. Além disso, os dados mostram que o que o PicPay enviou de transações nos primeiros 30 dias de implantação do PIX é o montante enviado atualmente em um único dia, após a popularização da ferramenta.

Ademais, os dados também mostram que a operação representa 67% das transações dos serviços financeiros de pessoas físicas. Ou seja, o volume dessas transações cresce em média 15% ao mês, o que representa valor acima do crescimento médio do mercado, de 12%, segundo o Banco Central.

Novidades no PIX

Além disso, o Banco Central anunciou que até o fim do ano, o PIX ganhará novas funcionalidades. Nesse sentido, na semana passada, entrou em vigor um novo mecanismo de segurança que agiliza a devolução de recursos a usuários vítimas de fraude ou de problemas operacionais entre as instituições participantes.

Por fim, no próximo dia 29, passam a funcionar o PIX Saque e o PIX Troco. São duas novidades, em que o primeiro permite que o usuário transfira recursos para uma conta PIX em pontos que oferecem o serviço de sacar dinheiro em espécie. Já o segundo permite que o usuário transfira quantias maiores que o valor da compra e saque a diferença em forma de troco.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.