Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Pandemia faz custo do governo federal crescer 70% no primeiro semestre de 2020

No primeiro semestre de 2020, o governo federal gastou um total de R$ 1,73 trilhão. O número representa um aumento de 70% nos gastos quando comparado ao mesmo semestre de 2019. A informação foi divulgada nesta terça-feira (10) pelo Tesouro Nacional.

O número leva em conta gastos dos Três Poderes da União e do Ministério Público Federal. São contados os gastos financeiros, com mão de obra, insumos, funcionamento, desvalorização de patrimônio e repartição de receitas com estados, municípios e organizações da sociedade.

O principal gasto do governo neste período foi com o auxílio emergencial. Com ele, os gastos financeiros cresceram 79% no primeiro semestre de 2020. Em seguida, aparecem as compras de equipamentos para enfrentar a pandemia do novo coronavírus, que fez os gastos do Ministério da Saúde crescerem 55%, de R$ 8,22 bilhões para R$ 12,73 bilhões.

De acordo com o Tesouro Nacional, o aumento dos gastos do Ministério da Saúde ocorreu pela compra de equipamentos de proteção individual para ação preventiva contra a Covid-19, materiais farmacológicos, materiais reagentes para diagnóstico e materiais de assepsia.

Se o Ministério da Saúde não fosse levado em conta, os custos de funcionamento teriam caído 6% nos seis primeiros meses desse ano. Grande parte da redução acontece por causa do trabalho remoto de servidores públicos durante a pandemia, diminuindo gastos como telefonia, diárias e passagens, despesas de copa e cozinha, gás e energia elétrica.

O Poder Legislativo federal apresentou queda de 4%, também por causa do teletrabalho. No Poder Judiciário, a queda foi de 11%. E no Ministério Público Federal, de 14%.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.