Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo modelo de articulação deve ajudar aprovação do auxílio e do Renda Brasil

Senador afirmou que novas parcelas devem ser de R$ 300 e podem ser anunciadas a qualquer hora

A base governista aprovou a tática do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de comunicar com antecedência para líderes aliados a prorrogação do auxílio emergencial e a criação do programa Renda Brasil. As informações são do blog de Gerson Camarotti, do portal G1.

De acordo com o blog do colunista do G1, parlamentares afirmaram que o auxílio emergencial deve mesmo ser prorrogado com parcelas de R$ 300 até dezembro de 2020. Por se tratar de um novo valor, diferente dos atuais R$ 600, o auxílio – e também o Renda Brasil – precisam ser aprovados pelo Congresso Nacional.

Nesta terça-feira (01), acontecerá reunião no Palácio da Alvorada do presidente Jair Bolsonaro com políticos. O presidente deve mostrar aos políticos os cálculos feitos pela equipe econômica com as possibilidades de valores e número de beneficiários do Renda Brasil. Esse novo programa deve substituir o atual Bolsa Família. O deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, afirmou que o modelo de “combinar antes (com a base)” é um novo modelo de articulação, que deixa tudo “mais previsível”.

Também à coluna, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), afirmou que o valor da prorrogação deve mesmo ficar em R$ 300 por parcela. De acordo com ele, a prorrogação e o novo valor “pode ser anunciado a qualquer hora”. Segundo ele, a reunião de terça-feira (01) deve ser mais focada nas PECs e no Renda Brasil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.