Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo concurso Ministério da Economia com 100 vagas tem cargos e salários definidos

Segundo o aval, os aprovados atuarão por até quatro anos, quando o prazo de validade do contrato terminará.

O Ministério da Economia vai abrir um novo edital de concurso para o preenchimento de 100 vagas temporárias. Foi divulgado no Diário Oficial, edição do dia 13 de janeiro, a informação de que o Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (Idib) foi contratada para organizar o edital.

Após o processo de contratação da banca organizadora, pela portaria autorizativa, divulgada em outubro, o processo seletivo simplificado deve ser aberto até abril de 2021.

O projeto básico do edital já foi concluído. O documento conta com informações importantes, como, por exemplo, os cargos, etapas e salários dos cargos.

De acordo com o texto, o concurso vai contar com 08 vagas para o cargo de Agente de Apoio de Prestação de Contas Temporário. O cargo requer nível médio técnico em Administração, Contabilidade ou Informática. O salário será de R$1.700.

As outras quatro vagas serão oferecidas para Coordenador de Análise de Prestação de Contas Temporário. Para concorrer, o candidato deverá ter graduação em Administração, Economia, Contabilidade ou Direito. Além disso, neste caso, será necessário ter experiência profissional superior a três anos, na sua área de atuação, ou título de pós-graduação lato sensu, mestrado ou doutorado na área. Os salários chegarão a até R$6.130.

O restante da oferta de oportunidades, 88 vagas, serão destinadas aos cargos de Analista de Prestação de Contas Temporário (48) e Analista de Instauração de Tomada de Contas Especial (40). Para concorrer a uma das vagas, o candidato deverá ter nível superior em qualquer área. Os salários chegarão a até R$3.800.

Etapas

A expectativa é que o aprovados no concurso sejam lotados em Brasília (DF), uma vez que, conforme consta no projeto básico, todas as etapas serão realizadas na cidade.

O concurso vai contar com provas objetivas e de títulos. A prova objetiva terá questões de Conhecimentos Gerais e Específicos. Na parte básica, serão cobradas as disciplinas de Língua Portuguesa, Legislação e Ética na Administração Pública e Informática Básica.

Os aprovados na parte objetiva terão seus títulos avaliados. A expectativa é que sejam analisados os documentos dos aprovados no exame objetivo, até as seguintes posições:

Cargos Avaliação de títulos e certificações (Qtd máximo)
coordenador de análise de prestação de contas temporário 40
analista de prestação de contas temporário 250
agente de apoio de prestação de contas temporário 60
analista de instauração de tomada de contas especial 240

O concurso

Foi divulgado no Diário Oficial da União do dia 26 de novembro, o documento que forma a comissão organizadora responsável pelo certame.

De acordo com o documento, a comissão do concurso é composta por:

I – Representante da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia:

  • a) Denise Gomes dos Santos Barbosa Medeiros – Assistente da Subsecretaria de Supervisão e Estratégia (SUPE) – matrícula 1221224 – titular;
  • e b) Henrique Eduardo Medeiros Aquino – Assessor da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego (SPPE) – matrícula 1741884 – suplente;

II – Representante da Coordenação-Geral de Desenvolvimento e Movimentação de Pessoal da Diretoria de Gestão de Pessoas da Secretaria de Gestão Corporativa da Secretaria Executiva do Ministério da Economia (CGDEP/DGP/SGC):

  • a) Rodrigo de Oliveira Alves – Coordenador-Geral de Desenvolvimento e Movimentação de Pessoal – matrícula 1808731 – titular; e
  • b) Daniel Pires de Castro – Coordenador de Provimento e Dimensionamento de Pessoas – matrícula 1750497 – suplente;

III – Representante da Coordenação-Geral de Legislação de Pessoal da Diretoria de Gestão de Pessoas da Secretaria de Gestão Corporativa da Secretaria Executiva do Ministério da Economia (CGLEJ/DGP/SGC):

  • a) Iris Francisca Alves de Sousa – Chefe da Divisão de Normas, Direitos e Deveres de Pessoal – matrícula 1161699 – titular; e
  • b) Débora Ribeiro Martins – Agente Administrativo – matrícula 1182305 – suplente.

O concurso do Ministério da Economia

A autorização do certame já foi publicada no Diário Oficial da União. De acordo com o documento, as vagas serão oferecidas para os cargos de Coordenador de Análise de Prestação de Contas Temporário (04 vagas), Analista de Prestação de Contas Temporário (48 vagas), Agente de Apoio de Prestação de Contas Temporário (08 vagas) e Analista de Instauração de Tomada de Contas Especial (40 vagas).

Para concorrer a uma das vagas, o candidato deverá ter nível superior. No entanto, a pasta ainda não revelou se vai cobrar graduação em alguma área específica.

De acordo com a lei que regulamenta este novo concurso, os salários vão chegar a R$3.800 (analista) e R$6.130 (agente e coordenador). No entanto, o valor ainda pode variar, uma vez que a portaria informa que caberá ao Ministério da Economia definir a remuneração dos contratados.

Segundo o aval, os aprovados atuarão por até quatro anos, quando o prazo de validade do contrato terminará.

De acordo com a portaria autorizativa, o edital de processo seletivo simplificado deverá ser publicado em até seis meses. Sendo assim, o documento vai ser publicado até abril de 2021.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.