Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Sem abrir novo concurso, Banco Central vai readmitir servidores aposentados

Banco Central do Brasil (BACEN) vai readmitir servidores aposentados para suprir carência de servidores no órgão

O Banco Central do Brasil (BACEN) vai readmitir servidores aposentados para suprir parte da carência por servidores no órgão. A medida foi publicada no Diário Oficial da União, edição do dia 21 de janeiro. Hoje, o Banco conta com mais de 2.700 cargos vagos e não tem autorização do Ministério da Economia para abrir um novo concurso.

Segundo o texto publicado pelo Banco Central, 17 vagas poderão ser preenchidas através de reversão de aposentadorias de servidores do BACEN. Veja distribuição dos servidores que serão readmitidos:

10 analistas – nível superior;

02 procuradores – nível superior em direito; e

05 técnicos – nível médio.

O documento informa que o quantitativo das vagas cima deve ser preenchido no exercício de 2020, conforme necessidade da administração. As vacâncias deverão ser preenchidas por servidores que, na data de apresentação do pedido, estejam aposentados há pelo menos um ano e, no máximo, cinco anos.

Ainda segundo o documento, somente serão avaliados os pedidos de reversão apresentados até o dia 30 de novembro.

Prepare-se: Apostila Concurso Banco Central 2020 – Atualizada

Déficit e pedido para novo concurso

O Banco Central conta com um alto déficit de servidores. Acontece que a instituição atingiu a marca de 2.771 cargos vagos em sua estrutura, conforme dados do último levantamento, publicado em junho. Ao todo, faltam 2.251 analistas (nível superior), 136 procuradores (nível superior em Direito) e 384 técnicos (nível médio).

Sem novo concurso, o órgão pode repor a carência desses profissionais com a chamada de aprovados. A Lei nº 9.650 prevê que o Banco Central tenha 6.470 servidores em seu quadro. Desse total, apenas 58% estão preenchidos.

A instituição protocolou no Ministério da Economia o pedido de realização de um novo certame para 260 vagas, sendo 200 para Analista, 30 para Técnico e 30 para Procurador.

De acordo com o novo presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco (Sinal), Jordan Alisson, a realização do concurso continuará sendo uma das questões prioritárias do Sindicato. “A defasagem de servidores está muito grande.

A gente vai continuar atuando tanto internamente, junto ao banco, para que seja feito um novo pedido de concurso ao Ministério do Planejamento (atual Ministério da Economia), quanto no âmbito do Congresso Nacional e do poder Executivo, para que esse pedido seja autorizado”, disse Jordan.

Os salários iniciais para técnico, requisito de nível médio, chegam a R$7.741,31. Para analista, que tem exigência de nível superior, os ganhos chegam a R$19.655,06, já considerando o auxílio-alimentação no valor de R$458. Por fim, os ganhos de Procurador, que exige nível superior em Direito, chegam a R$21,472,49.

Atribuições

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

Analista do Banco Central do Brasil: formulação, execução, acompanhamento e controle de planos, programas e projetos relativos a: a) gestão das reservas internacionais; b) políticas monetária, cambial e creditícia; c) emissão de moeda e papel-moeda; d) gestão de instituições financeiras sob regimes especiais; e) desenvolvimento organizacional; e f) gestão da informação e do conhecimento. II – gestão do sistema de metas para a inflação, do sistema de pagamentos brasileiro e dos serviços do meio circulante. III – monitoramento do passivo externo e a proposição das intervenções necessárias, entre outras tarefas;

Técnico do Banco Central do Brasil:  I – desenvolvimento de atividades técnicas e administrativas complementares às atribuições dos Analistas e Procuradores do Banco Central do Brasil. II – apoio técnico-administrativo aos Analistas e Procuradores do Banco Central do Brasil no que se refere ao desenvolvimento de suas atividades. III – execução de atividades de suporte e apoio técnico necessárias ao cumprimento das competências do Banco Central do Brasil que, por envolverem sigilo e segurança do Sistema Financeiro, não possam ser terceirizadas, em particular às pertinentes às áreas de: a) tecnologia e segurança da informação voltadas ao desenvolvimento, à prospecção, à avaliação e a internalização de novas tecnologias e metodologias; entre outras atribuições.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?