Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Neocolonialismo: um resumo para o ENEM!

Neocolonialismo: tudo aquilo que você precisa saber!

O Neocolonialismo conheceu o seu início no século XIX e o seu fim no século XX. O evento impactou diversos países do mundo das mais variadas formas e possui consequências até os dias de hoje.

Além disso, o Neocolonialismo é muito cobrado na prova do ENEM, especialmente acompanhado por charges. Além disso, ele aparece com frequência também nos principais vestibulares do país.

Dessa maneira, é essencial que você domine as principais características e as consequências do Neocolonialismo para garantir um bom desempenho nas suas provas.

O Neocolonialismo: Introdução

O Neocolonialismo ocorreu durante o século XIX e o início do século XX. Nesse período, as potências europeias passaram a dominar de maneira política e econômica os países dos continentes africano, asiático e da Oceania.

O principal objetivo era a busca por matéria-prima e mão de obra, uma vez que a Europa passava pela Segunda Revolução Industrial.

O Neocolonialismo é colocado em prática definitivamente no ano de 1884, com a Conferência de Berlim. Nessa reunião, as potências europeias se reuniram a fim de dividir entre elas os territórios que poderiam ser colonizados do continente africano.

O Neocolonialismo: Contexto Histórico

Durante o Neocolonialismo, a forma de exploração das colônias sofreu uma alteração. Os países não mais buscavam somente riquezas: eles precisavam também de mão de obra barata ou escrava, exploração da terra e mercados consumidores para consumir os seus produtos industrializados.

Nesse período, o país que mais se destacou foi a Inglaterra. Devido ao grande avanço industrial, os ingleses passaram a necessitar urgentemente de novos mercados.

É importante destacar também, já que uma questão de prova pode relacionar esses dois acontecimentos, que foi justamente durante esse período que ocorreu a Guerra do Ópio, conflito no qual a Inglaterra obrigou a China a abrir seus portos.

O Neocolonialismo é responsável por conquistar praticamente todo o continente africano. Somente a Etiópia e a Libéria permaneceram independentes comercial e financeiramente.

Além disso, os países europeus passaram a buscar uma justificativa para as atrocidades cometidas.

Assim, eles passaram a afirmar que, com a colonização, eles estariam levando o progresso, a ciência e a tecnologia para os menos desenvolvidos. Essa teoria, fundada por Hebert Spencer, foi chamada de darwinismo social e se expandiu de maneira surpreendente.

O Neocolonialismo: Consequências

Como é de se esperar, as consequências para aqueles que foram colonizados não foram nada positivas.

Os países colonizados ficaram dependentes financeiramente da Europa até meados do século XX. Porém, mesmo após esse período, as economias locais desses territórios não conseguiram se recuperaram dos estragos feitos.

Até os dias de hoje podemos observar problemas sociais ocasionados por economias frágeis em países que foram colonizados no século XIX.

O Neocolonialismo ocasionou também diversas disputas étnicas dentro do continente africano, já que tribos e etnias inimigas foram colocadas em um mesmo território pelos europeus, que ignoravam suas diferenças.

Além disso, uma consequência do Neocolonialismo é também a Primeira Guerra Mundial, já que determinadas potências europeias se tornaram rivais devido à disputa por territórios.

 

 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.