Moeda NORMAL de 50 centavos pode valer até R$ 200; Confira o modelo

Você já ouviu falar que as moedas do real brasileiro podem valer muito mais do que o seu preço monetário? Por exemplo, uma moeda de 50 centavos chega a valer centenas de reais. Por isso, fique ligado no troco e não deixe passar a chance de ganhar muito dinheiro sem dificuldade.

Embora possa parecer difícil de acreditar, existem pessoas dispostas a pagar caro por itens incomuns. No entanto, várias pessoas também pagam muito dinheiro por modelos comuns, mas que possuem alguma característica que os torna mais atraentes que os demais.

Aliás, a venda de moedas raras vem crescendo nos últimos tempos no Brasil. Em resumo, o negócio se tornou muito lucrativo para muitos brasileiros que veem nestes itens incomuns uma chance de aumentar seu dinheiro, transformando a prática em uma verdadeira fonte de renda.

Contudo, vale destacar que não são todos os modelos que fazem sucesso entre os colecionadores. Na verdade, estas pessoas gostam de adquirir itens únicos, com características raras. Portanto, a maioria absoluta das moedas não despertam interesse nos colecionadores, apenas aquelas cuja aquisição seja muito difícil por causa da sua raridade.

Veja o que aumenta o valor de uma moeda

A busca por itens raros vem atraindo muitas pessoas, pois o negócio se trata de uma via de mão dupla. De um lado, existem pessoas interessadas em adquirir os itens, aumentando seu acervo de exemplares raros, e do outro lado há pessoas que possuem estes modelos, mas não se importam em tê-los em sua posse, acreditando que vendê-los seja um negócio mais lucrativo.

Muitas moedas fazem sucesso entre os colecionadores e passam a ter valores muito altos devido a características únicas destes modelos, encontradas em poucos exemplares. Confira abaixo as quatro principais características que valorizam um item:

  1. Exemplares fabricados para datas comemorativas;
  2. Modelos com erro de cunho ou fabricação;
  3. Poucos exemplares produzidos;
  4. Poucas unidades em circulação no país.

Conheça a moeda comum de 50 CENTAVOS

A saber, a Casa da Moeda fabrica o dinheiro no Brasil, conforme os pedidos feitos pelo Banco Central (BC). Em algumas ocasiões, como datas comemorativas e momentos de celebração, o BC costuma solicitar a fabricação exclusiva e limitada de alguns exemplares. Geralmente, são estes modelos que costumam valer uma fortuna devido à sua quantidade restrita.

Contudo, existem outras características que fazem uma moeda valer mais do que elas representam. No caso da moeda de 50 centavos, a sua tiragem considerada baixa elevou em 400 vezes o seu valor, para R$ 200. O item não possui erro de fabricação, ou seja, é comum, mas seu valor disparou justamente por causa da baixa tiragem.

A propósito, trata-se de um exemplar fabricado em 2006, fazendo parte da segunda família do real, e teve quase 40 milhões de unidades produzidas. Essa é a menor tiragem para moedas de 50 centavos da segunda família do real.

Confira abaixo as menores tiragens anuais para este modelo:

  1. 2006: 39,984 milhões;
  2. 2019 A: 47,264 milhões;
  3. 2014: 56,112 milhões;
  4. 2015: 69,167 milhões.

Vale destacar que todas as demais produções anuais superaram a marca de 100 milhões de unidades. Isso mostra que a quantidade de moedas de 50 centavos produzidas em 2006 foi muito pequena, quando comparada às demais fabricações anuais.

Exemplo de moeda de 50 centavos de 2006
Exemplo de moeda de 50 centavos de 2006. Imagem: Reprodução.

Estado de conservação influencia valor dos itens

As moedas recebem algumas classificações quanto ao seu estado de conservação. O primeiro termo se chama flor de cunho, que se refere aos exemplares que não circularam, ou seja, não apresentam qualquer sinal de desgaste ou manuseio. Em outras palavras, são moedas que não possuem marcas e estão em perfeito estado de conservação.

Por sua vez, o estado de soberba se refere às moedas que apresentam, aproximadamente, 90% dos detalhes da cunhagem original. Em síntese, os exemplares que tiveram uma pequena circulação se enquadram neste segmento.

Já a moeda muito bem conservada (MBC) se caracteriza por ter mais sinais de manuseio e uso. Os itens devem apresentar, aproximadamente, 70% dos detalhes da cunhagem original. Além disso, o seu nível de desgaste deve ser homogêneo, sem ter um local bem mais desgastado que outro.

De acordo com o catálogo ilustrado Moedas com Erros, a moeda de 50 centavos comum, sem erro de fabricação, possui os seguintes valores:

  • Flor de Cunho: R$ 200,00;
  • Soberba: R$ 150,00;
  • MBC: R$ 100,00.

Como vender estes itens raros?

Muitas pessoas têm moedas raras, mas não sabem como vendê-las. Essa questão é simples, mas é preciso alertar todos os que estão dispostos a venderem seus modelos. Isso porque os colecionadores buscam moedas com determinadas características.

Confira abaixo o que aumenta o valor da moeda:

  • Não possuir arranhão;
  • Ter a imagem limpa e sem manchas;
  • Possuir todos os traços e marcas de fabricação.

As pessoas que tiverem exemplares nestas condições deverão ter mais facilidade para venderem seus itens, pois estes são os mais procurados pelos colecionadores.

Em síntese, os especialistas afirmam que o melhor é manter a moeda conservada em algum saquinho ou papel filme para que ela mantenha as suas formas originais. Isso pode ser feito com outros modelos, que podem se valorizar com o passar do tempo.

Por fim, os interessados em vender seus exemplares podem entrar em sites especializados. Existem diversas formas para vender moedas raras, como lojas especializadas e leilões, bem como grupos de Facebook e marketplaces online (como Mercado Livre e Shopee), isso sem contar na venda direta para colecionadores.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.