Moeda de 1 real das OLIMPÍADAS agora vale R$ 800 no país

Moeda de 1 real das OLIMPÍADAS agora vale R$ 800 no país; Veja o modelo

Pessoas que querem vender moedas podem entrar em grupos de colecionadores ou acessar lojas especializadas

Os brasileiros são conhecidos como um dos povos mais apaixonados por futebol. Durante os eventos da Copa do Mundo, o serviço no país chega a se adequar aos horários dos jogos do Brasil. E iso também acontece com as partidas realizadas durante as Olimpíadas, que englobam diversos esportes.

Em resumo, a população adora acompanhar eventos esportivos, e esse sentimento fica ainda mais forte quando o evento ocorre no próprio país. Por falar nisso,, o Brasil sediou em 2016 os jogos olímpicos, e o momento ficou marcado, dentre outras coisas, pela fabricação de moedas em homenagem ao evento mundial.

Para comemorar a realização das Olimpíadas no Brasil, o Banco central lançou 17 moedas das Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016.

Confira as modalidades olímpicas:

  • Atletismo;
  • Boxe;
  • Basquetebol;
  • Futebol;
  • Golf;
  • Judô;
  • Natação;
  • Rugby;
  • Vela;
  • Voleibol.

Também houve a fabricação de modelos em homenagem às Paraolimpíadas, dedicadas a atletas com algum tipo de deficiência:

  • Atletismo paralímpico;
  • Natação paralímpica;
  • Paracanoagem;
  • Paratriatlo.

A Casa da Moeda ainda produziu outros três modelos: os dois mascotes dos Jogos Olímpicos, que homenageara Tom Jobim e Vinícius de Moraes, e a entrega da bandeira olímpica.

  • Entrega da bandeira;
  • Mascote Tom;
  • Mascote Vinícius.

Olimpíadas fortaleceram a numismática no Brasil

As Olimpíadas aproximaram os brasileiros às modalidades esportivas, mas também abriram caminho para o fortalecimento da numismática no Brasil. Muitas pessoas que não se interessavam por moedas direcionaram alguma atenção aos modelos fabricados pela Casa da Moeda. As estampas dos jogos olímpicos eram uma novidade impossível de ser notada e apreciada.

Aliás, o estudo de cédulas, moedas e medalhas sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico recebe o nome de numismática. O termo também é utilizado muitas vezes para designar o ato de colecionar estes itens, e o número de numismatas só faz crescer no país, fortalecido pelas Olimpíadas.

Esse universo de moedas antigas atrai muitas pessoas no Brasil. Nos últimos tempos, a busca por modelos raros e incomuns cresceu de maneira significativa no país, girando um volume financeiro expressivo nas negociações entre vendedores e compradores.

Em resumo, as pessoas que vendem moedas veem nesse universo um ótimo negócio para ter dinheiro de maneira rápida e fácil. Isso porque muitos colecionadores se mostram dispostos a pagar caro para terem itens únicos em sua posse.

Por isso, você deve ficar ligado no troco, conferindo as moedas que pegar, até porque alguns itens chegam a valer dezenas ou mesmo centenas de reais, e você não pode perder a chance de faturar uma bolada com apenas algumas moedas.

Moeda de UM REAL das Olimpíadas vale R$ 800

No Brasil, a Casa da Moeda fabrica o dinheiro conforme os pedidos feitos pelo Banco Central (BC). Em algumas ocasiões, como datas comemorativas e momentos de celebração, o BC costuma solicitar a fabricação exclusiva e limitada de alguns exemplares.

Geralmente, são estes modelos que costumam valer uma fortuna devido à sua quantidade restrita. E foi justamente isso o que aconteceu com as moedas das olimpíadas, que continuam sendo muito buscadas pelos colecionadores.

Um destes itens, que representa um dos mascotes dos jogos olímpicos, Tom, pode ser vendido por até R$ 800, segundo o catálogo ilustrado Moedas com Erros. O modelo teve uma tiragem de 20 milhões, assim como as demais moedas especiais.

No site do BC, a moeda é definida da seguinte forma: “No anverso, a mascote dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Completam a composição a marca dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e a legenda “Brasil”. As características do reverso permaneceram inalteradas“, informa o BC.

Moeda de Tom, mascote dos jogos olímpicos
Moeda de Tom, mascote dos jogos olímpicos. Imagem: Reprodução.

Veja o erro que valorizou a moeda

De acordo com o catálogo ilustrado Moedas com Erros, não são todos os modelos olímpicos que possuem o valor de R$ 800. Na verdade, existe um erro de fabricação que fez o modelo ficar tão valorizado assim: o seu reverso está invertido em 180º.

Para conferir se o exemplar está com o reverso invertido, basta girá-lo na vertical, ou seja, de cima para baixo ou de baixo para cima. Se, ao girar a moeda, o reverso ficar de ponta cabeça, significa que ele está invertido, algo que não deveria acontecer.

A propósito, a maioria das moedas não possuem esse erro. Por isso, os exemplares que apresentam a falha valem bem mais, pois a sua disponibilidade é bem menor, tornando-os bastante raros.

Como vender itens incomuns no país?

Os interessados em vender seus exemplares podem conseguir isso através de diversas maneiras. Confira abaixo as principais formas de vender moedas raras para colecionadores.

  • Entrar em grupos de colecionadores em redes sociais, como o Facebook;
  • Acessar lojas especializadas na compra e na venda de moedas raras, tanto físicas quanto online;
  • Participar de leilões de moedas raras, principalmente de itens que tenham alto valor;
  • Buscar plataformas online como Mercado Livre e Shopee, pois possuem muitos usuários interessados em colecionar moedas raras.

Por fim, as pessoas devem aumentar o conhecimento no tema e ganhar experiência no mercado para conseguirem preços justos. Cabe salientar que os leilões oferecem um ambiente competitivo, aumentando as chances de venda das moedas a preços mais elevados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.